• Sônia Apolinário

Masterpiece se une à cervejaria Máfia e planeja abertura de 30 bares em diferentes cidades

A formação de uma Joint Operation com uma cervejaria “vizinha” de Niterói (RJ) e a inauguração de 30 bares, até o final do ano - sendo 16 deles com previsão de entrarem em funcionamento até o final de julho. Essas foram algumas das novidades anunciadas pelo CEO da cervejaria Masterpiece, André Valle, em uma entrevista coletiva virtual realizada hoje (16 de junho). A união entre empresas se deu com a Máfia, segunda cervejaria inaugurada na cidade - a Masterpiece foi a quarta e, agora, a meta é ser a maior do país.

Joint Operation, na prática, significa que as duas marcas continuarão a existir para o mercado. Porém, atuarão como uma única empresa, com administração conjunta de portfólio, maquinário, pessoal e recursos financeiros e de logística. André Valle se tornou o CEO da Máfia também. Segundo ele, além da atuação em sinergia, o principal objetivo do negócio é ganho de escala. Juntas, as cervejarias terão condições de produzir 100 mil litros por mês, até o final do ano, e dobrar a meta para 2022.

André admite que os sócios de ambos os lados optaram por não realizar uma fusão por questões contábeis e fiscais. Neste momento, é mais vantajoso, segundo ele, não sair das condições que permitam a permanência no enquadramento do Simples Nacional. Quando a meta de produção para 2022 for batida, a história pode mudar.

De acordo com André, as receitas dos rótulos da Máfia não serão alteradas e a mestre cervejeira da Masterpiece, Ingrid Matos, assume o comando “das panelas” também da cervejaria vizinha - explica-se: a distância entre a Masterpiece (Cafubá) e a Máfia (Itaipu) é de cerca de 5 KM. No caminho, está a cervejaria Noi, inaugurada em 2011, distante apenas alguns metros da Máfia, que entrou em funcionamento em 2017.


Sobre a Máfia, inicialmente, a ideia era construir a fábrica em uma cidade serrana do Rio de Janeiro. Tanto que o verdadeiro nome da Máfia é Serra Verde Imperial. Em Niterói, esse nome não "colou" e os sócios decidiram manter o nome de uma linha que produziram, quando ainda eram ciganos, e que estava se popularizado. Saiba mais sobre a Máfia, aqui


A Masterpiece foi inaugurada ano passado, literalmente às vésperas da “explosão” da pandemia da Covid19. Niterói também abriga as fábricas das cervejarias Brewlab, Habbeas Copos e Malteca. Há previsão de inauguração de dois brewpubs, na cidade, até o final do ano.


War

Por falar em brewpub, esse modelo de negócio também está no radar da Masterpiece. A ideia é inaugurar um na cidade de São Paulo, ano que vem, para marcar a chegada da marca na capital paulista. Antes, porém, a cervejaria de Niterói espera já ter fincado sua bandeira em cidades do interior do estado.

Dentro do programa batizado como “War”, foi traçada uma estratégia para a Masterpiece ter 30 bares em funcionamento, até o final do ano. Em Niterói, além do bar da fábrica, um tap room será inaugurado no próximo dia 1 de julho no Jardim Icaraí e, outro, até o final de julho, no vizinho bairro de Icaraí, em um espaço onde funcionou um antigo “point” da cidade. A Máfia também tem um bar anexo à fábrica.

A Masterpiece já abriu bares nos municípios vizinhos de São Gonçalo e Alcântara. Maricá e Rio de Janeiro também estão nos planos. Do outro lado da Baía de Guanabara, os bairros na mira da Masterpiece são Botafogo, Leblon e Barra da Tijuca. Em São Paulo, duas unidades estão previstas para serem inauguradas em Valinhos, além de Americanas e Campinas.

“Queremos ter a maior cadeia de bares de cervejaria do Brasil. Sei que é ousado, mas queremos fazer algo grandioso. O nome que demos para esse programa de atuação foi inspirado no jogo de tabuleiro que tem como meta a ocupação do maior número de territórios. Entendemos que ter bares próprios é a melhor forma para o escoamento da produção. Eu não queria ter apenas um barril plugado em um PDV”, comenta André. “Já temos uma metodologia de criação de bares. Com o local negociado, em dois meses, abrimos um bar”.

Segundo ele, a chegada em Valinhos foi uma “oportunidade que surgiu” para a marca se instalar em uma “cidade de alto poder aquisitivo”.

E quando não der para instalar um bar completo, a Masterpiece pretende ocupar o espaço com uma espécie de bar portátil. A marca lançou, no início do ano, uma geladeira que, além de abrigar latas, tem espaço para dois barris de 20 litros, cada um com seu respectivo tap. Batizada de Lounge, essa geladeira foi pensada para ser instalada em estabelecimentos comerciais como lojas de roupa e barbearias. E é claro que André tem uma “meta de ocupação”: ter 60 Lounges instalados, até o final do ano.

Lançamentos

Com uma média de pelo menos um lançamento por mês, a Masterpiece lança, em breve, sua primeira cerveja Low Carb. Até o final do ano, a marca coloca um rótulo sem álcool no mercado. Não faz parte dos planos de André produzir outros tipos de bebidas:

“Essa é uma decisão estratégica nossa. Nosso foco é cerveja. Penso que, quando uma empresa diversifica muito, perde o foco. Nós temos duas cervejarias e nenhuma destilaria. Então, produziremos cerveja”.

Também faz parte dos planos ampliar o portfólio com rótulos feitos com lúpulos brasileiros. André conta que testes já estão sendo feitos, mas o resultado ainda não foi satisfatório.

Por enquanto, os testes foram com lúpulo em flor de um produtor do interior de São Paulo. Em breve, entrarão em cena lúpulos do estado do Rio de Janeiro, de preferência, em pellet.


“Temos uma panela pequena para fazer nossos testes. Na nossa primeira experiência com lúpulo em flor, o resultado foi quase um chá de boldo. Trabalhar com a flor é muito diferente de trabalhar com o lúpulo em pellet”, observa André.

A panelinha de teste é usada também para a produção de estilos poucos comuns, no mercado. Se o público gostar, a receita passa para a “panelona” e pode até vir a fazer parte da linha principal da marca, a Premium. As quatro cervejas medalhistas no Concurso Brasileiro de Cervejas 2021 passaram a fazer parte da linha que, assim, no momento, passou a ter 12 rótulos, dos mais variados estilos. Uma curiosidade: todas as latas são “decoradas” com alguma obra de arte que se encontre em domínio público.


Se a meta de André é fazer da Masterpiece a maior cervejaria do país, um meta anterior ele já alcançou: ter a cervejaria mais sustentável do Brasil. Toda a construção da cervejaria seguiu preceitos de sustentabilidade. Um dos destaques do prédio está no teto onde foram instalados 84 painéis solares que geram 30 mil watts de potência, capazes de atender toda a demanda da fábrica e do Bar da Fábrica. Aproveitamento e reuso de água da chuva e reaproveitamento do bagaço do malte utilizado na produção da cerveja também fazem parte do processo.


Sobre a construção da fábrica e o foco na sustentabilidade, confira aqui

Recentemente, a cervejaria conquistou o Certificado Empresa B, que reconhece boas práticas não só de sustentabilidade, mas de responsabilidade social e transparência nos negócios.

“Somos a única cervejaria brasileira com a certificação B. Isso nos dá muito orgulho. Vasculharam nossos dados e práticas durante um ano. O que essa certificação diz, em última instância, é que se trata de uma empresa correta. Isso representa muita coisa para mim”, afirma André.


Leia também:

Ingrid Matos assume a fábrica da Masterpiece

Bares Masterpiece


Em funcionamento: Bar da Fábrica, Bar da Máfia, Masterpiece Spetuz (Ingá, Niterói), Cobra Lounge (Centro, Niterói - Masterpiece Lounge), Garage Pub (São Gonçalo), Masterpiece Nova Cidade (São Gonçalo), Masterpiece Hangar 50 (Alcântara).


Com inauguração prevista até o fim de junho: Masterpiece Hangar 50 (Ponta Grossa, Maricá), Masterpiece Hangar 50 (Camboinhas) e Masterpiece Valinhos (São Paulo).


Com inauguração prevista para julho: OK Mall (Jardim Icaraí, Niterói) - 1/7; Parque Nanci (Maricá) - 10/7; Beach Club (São Gonçalo) - 20/7 e Icaraí - 20/7.



Destaques
Últimas