top of page
  • Sônia Apolinário

Cerveja holandesa leva ouro na categoria Brazilian Pale Ale do WBA 2022

Um rótulo holandês levou medalha de ouro em uma categoria que estreou este ano no World Beer Awards: Brazilian Pale Ale. No ingrediente da cerveja, nada além de água, malte, lúpulo e levedura – e nenhum deles produzido no Brasil. Ainda assim, a Juicy Pale Ale da cervejaria Liberty estava dentro do estilo.


Como isso é possível, quem explica é Marcio Melo, Mestre em Estilos e juiz de concurso cervejeiro:


“O estilo é uma novidade no concurso, mas ainda está meio indefinido. Se caracteriza, basicamente, pela utilização de ingredientes brasileiros ou apresentar características de ingredientes brasileiros. Ou seja, pode não usar ingrediente brasileiro, mas ter no sensorial, no sabor, características que remetem a ingredientes brasileiros”.


O rótulo vencedor da categoria, que tem 5,5% ABV e 23 IBU, de acordo com descrição da própria marca, é uma “cerveja tropical de verão com notas ricas de toranja, maracujá e manga”. A receita não leva adjuntos.


Marcio Melo observa que a indefinição a respeito do estilo começa pela própria base Pale Ale, uma vez que não há especificações se é da “linhagem” inglesa ou norte-americana.


Dentre os 80 estilos julgados na edição 2022 do World Beer Awards também constou o Catharina Sour, recentemente reconhecido, de maneira oficial, como o primeiro e, até o momento, único estilo brasileiro de cerveja.


“Pelo lado de estarem dando atenção ao Brasil a ponto de incluir como estilos Catharina Sour e Brazilian Pale Ale, é realmente algo legal. Porém, é preciso que a Brazilian Pale Ale tenha um pouco mais de parâmetro para que seja, de fato, considerada um estilo. Do contrário, fica uma forçação de barra para atrair público e atenção dos países que fazem cerveja”, afirmou Marcio Melo.


Quem ficou com a medalha de prata no estilo Brazilian Pale Ale, do World Beer Awards 2022 foi a brasileira Lohn com a Todanossa (4,2% ABV e 30 IBU). No site da cervejaria, o rótulo já é descrito como sendo do estilo Brazilian Pale Ale. O que mais é dito sobre ele:


“Produzida com ingredientes nacionais, a Todanossa é feita com água que vem das encostas da serra catarinense; os lúpulos são da agricultura familiar da serra, um projeto da Fazenda Santa Catarina com a Ambev de Lages. A cevada também é nacional e teve o processo de malteação desenvolvido pela Maltearia Blumenau. A levedura utilizada é a Saccharomyces, descoberta pelos pesquisadores da Yeast Hunters, testada no Centro de Inovação Tecnológica do Rio de Janeiro, identificada como nova e expressando características únicas. A Brazilian Pale Ale é uma cerveja clara de corpo leve, com lúpulos de amargor e aroma da safra 2021. Seu aroma remete a frutas amarelas proveniente de levedura, que repete as sensações ao final de boca. Esse conjunto faz com que a cerveja tenha características novas, sendo uma legítima Ale Clara Brasileira”.


A Lohn é uma cervejaria de origem artesanal, com sede na cidade catarinense de Orleans. Atualmente, é uma das marcas da Ambev (que faz parte da AB InBev) via ZX Ventures, o braço de inovação da gigante cervejeira.


Várias outras marcas da Ambev também foram premiadas na edição 2022 do WBA. Entre elas, Bhrama e Skol que conquistaram medalhas de bronze na categoria International Lager. Foram premiadas Brahma Duplo Malte e Chopp; Skol Pilsen e Puro Malte. Quem levou ouro na categoria foi a Baden Baden Cristal, marca que também nasceu de forma artesanal, mas que agora pertence ao grupo Heineken – principal rival da Ambev, no Brasil.


Ainda sobre Ambev, a cervejaria medalhou no World Beer Awards 2022 com vários rótulos de Colorado, outra marca que foi artesanal na sua origem. A Demoiselle, que leva na receita o tradicional café da região paulista da Alta Mogiana, levou prata na categoria Flavoured Stout/Porter. Já a Colorado Cauim, também foi bronze no estilo International Lager. Este rótulo, como informa a cervejaria, é feito com água do cobiçado aquífero Guarany (uma das mais importantes reservas subterrâneas de água doce do planeta que se encontra, em sua maior parte, em subsolo nacional), além da brasileiríssima mandioca. A Colorado foi uma das primeiras cervejas artesanais brasileiras, pioneira no uso de ingredientes genuinamente nacionais, nas suas receitas.


Essas premiações do World Beer Awards 2022, divulgadas no último sábado (6), em Londres (Inglaterra), fazem parte da primeira etapa do concurso, quando a competição é por países. Quem leva medalha de ouro fica apto a disputar a etapa mundial. O resultado final está previsto para ser divulgado no próximo dia 25.


Uma particularidade deste concurso é que Brasil, Chile, Japão e África têm, digamos, núcleos próprios: rótulos desses respectivos países são enviados para seus chairmans, que encaminham parte para o Reino Unido – todo o resto do mundo manda diretamente para a equipe do concurso, em UK. Uma parte fica no próprio país, onde as amostras são julgadas nesta primeira etapa da competição.


Ao todo, 60 cervejarias brasileiras inscreveram cerca de 400 rótulos. Todo o concurso recebeu 4.500 amostras. Conquistaram medalhas 21 cervejarias nacionais, sendo 35 de ouro. Incluindo prata e bronze, o total de medalhas para os rótulos do Brasil foi de 120.


Confira todos os medalhistas de ouro no World Beer Awards 2022, aqui

Confira todos os medalhistas brasileiros na competição, aqui


Comments


Destaques
Últimas
bottom of page