• Sônia Apolinário

Estudantes da UFF criam liga com foco em pesquisa no segmento de alimentos e bebidas

Alunos da graduação da Universidade Federal Fluminense criaram a Liga Acadêmica de Alimentos e Bebidas de Ceuci para desenvolverem pesquisas e projetos nesse segmento. O estudo da cerveja ganhará foco especial. Tudo porque eles detectaram que faltavam projetos nessa área nos quais pudessem se engajar.

A iniciativa partiu de três alunos do curso de Engenharia Química: Luiz Pinhel (7º período, presidente da Liga, à esquerda na imagem abaixo), Luísa Pimentel (5º período, vice-presidente) e Gabriel Reis (4º, coordenador de marketing) e conta com a orientação da professora Márcia Feijó. Outros 14 estudantes já se juntaram ao grupo inicial, “levando” para o projeto também os cursos de Nutrição e Farmácia.


“Vamos desenvolver estudos, projetos científicos e eventos para difundir os conhecimentos dentro da cadeia produtiva de alimentos e bebidas. Vamos também atuar na relação entre alimentação e medicamentos. É uma forma de estudo e também preparação para o mercado de trabalho. Queremos colocar a mão na massa”, explica Luísa.


Apreciadora de cerveja artesanal, ela tem planos de atuar na área de cerveja. Afinal, como observa, a produção da bebida “é pura engenharia química”. Por conta do grande apelo da cerveja dentro do segmento em que a Liga está atuando, a bebida acabou por ganhar um destaque especial.


Leia mais: Projeto Caminho Cervejeiro de Niterói traça circuito turístico para a cidade


Os primeiros estudos relacionados com a bebida terão como foco a microbiologia da cerveja. Dois grupos foram criados: um para tratar da cerveja com alimento e outro para estudar o processo produtivo da bebida.

A Liga vem se estruturando há cerca de um ano. Todo o trabalho, até então, vinha sendo feito de forma virtual. Luísa acredita que a volta das atividades presenciais, na UFF, prevista para o dia 28 de março, dará um novo impulso para os trabalhos do grupo. Há planos para transformar o projeto em curso de extensão. Atualmente, a UFF tem cinco ligas estudantis.


“Queremos focar na pesquisa e no desenvolvimento de artigos científicos. A universidade acolheu muito bem a nossa ideia. Queremos reinvestir tudo o que produzirmos na própria UFF e fomentar alguma atuação social a partir dos nossos estudos”, comenta Luísa.


Sobre o nome da liga, Ceuci é a deusa indígena que protege lavouras e moradias.


Leia também: Na UFF, produção de cerveja mata a sede de pesquisa universitária



Destaques
Últimas