top of page
  • Sônia Apolinário

Protagonizado por Sophie Charlotte, filme sobre a vida de Gal Costa estreia em outubro


“Meu Nome é Gal”, longa sobre a cantora Gal Costa, protagonizado por Sophie Charlotte, estreia nos cinemas no dia 12 de outubro. O longa tem direção de Dandara Ferreira e Lô Politi, que também assina o roteiro.

O filme conta a história de Gracinha - como era conhecida a cantora antes de ser tornar Gal Costa - que se muda para o Rio de Janeiro, onde se junta aos companheiros de vida Caetano Veloso (Rodrigo Lelis), Maria Bethânia (interpretada pela diretora Dandara Ferreira), Gilberto Gil (Dan Ferreira) e Dedé Gadelha (Camila Mardila).


Luis Lobianco aparece no papel do empresário Guilherme Araújo, que acompanha a escolha do nome artístico de Maria da Graça para Gal Costa, assim como o lançamento de sua carreira. George Sauma interpreta o poeta, compositor e diretor Waly Salomão, fundamental na construção do contexto estético da turnê “Fa-tal, Gal a todo vapor” (1971), considerada um marco em sua trajetória e que a consolidou como a voz da contracultura brasileira.

O filme acompanha de perto e de dentro o breve e efervescente momento da Tropicália, o principal movimento da contracultura no Brasil, responsável pela maior mudança musical e comportamental que o país já viveu. Gal Costa foi a principal voz feminina do Tropicalismo mas, para isso, precisou se libertar das amarras de uma timidez que quase a impediu de seguir sua vocação artística.


Com sua presença, sua atitude, seu corpo e sua voz, Gal Costa transformou a música brasileira e também toda uma geração, principalmente de mulheres. O filme mostra como ela e seus companheiros Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Jards Macalé, Tom Zé e Wally Salomão, ainda muito jovens, enfrentaram a dificuldade de serem tão vanguardistas em meio ao conservadorismo e à violência impostos pela ditadura militar no Brasil.


Com 57 anos de carreira musical, Gal Costa soma mais de 30 álbuns e diversos prêmios, entre eles o Grammy Latino à Excelência Musical, recebido pelo conjunto de sua obra. Seus sucessos atemporais e que são parte da cultura nacional fazem parte da trilha sonora do filme. “Meu Nome é Gal”, canção composta por Erasmo e Roberto Carlos em 1969 e a preferida da atriz Sophie Charlotte no vasto repertório da cantora, “Baby”, “Divino Maravilhoso”, “Eu Vim da Bahia”, “Alegria, Alegria”, “Coração Vagabundo”, “Mamãe, Coragem”, “Vaca Profana”, “Festa do Interior”, entre outras canções ganham destaque no filme. Gal Costa morreu em São Paulo no dia 9 de novembro de 2022.


Confira o trailer aqui




Comentarios


Destaques
Últimas
bottom of page