top of page
  • Redação

Niterói no Mondial de la Bière 2022

Rótulo inspirado no pintor Antônio Parreiras, experiência com lupulagem e a estreia de uma nova marca são algumas das novidades que as cervejarias de Niterói apresentarão na 12a edição do Mondial de la Bière, um dos maiores festivais de cerveja do país. Nove marcas da cidade participarão do evento.



Entre os dias 7 e 11 de dezembro, na Marina da Glória (RJ), cerca de 1.500 rótulos estarão disponíveis para o público. Este ano, a parte gastronômica ganhou o reforço de cinco restaurantes, dentre eles, o Laricas do Benoliel, do chef e apresentador carioca Pedro Benoliel (hamburgueria); Tabuleiro do Kaywa, do ex-Mestre do Sabor Kaywa Hilton (frutos do mar) e o vegetariano Natural do Mondial.


Diariamente, a programação de shows apresentará um cardápio variado de ritmos. Uma atração extra é a vista para a Baía de Guanabara, que poderá ser desfrutada em lounges espalhados pela área externa da Marina.


Como é característico do festival, serão realizados vários lançamentos, muitos deles, das cervejarias de Niterói. As nove marcas da cidade que estarão no evento são: Belgarioca, BrewLab, Fractal, Malteca, Marauú, Masterpiece, Matisse, Noi e W-Kattz. Duas delas não terão estandes próprios: BrewLab e Malteca. Rótulos dessas marcas, que também levarão lançamentos, serão encontrados no “estande bar” do Beer Underground.


Confira o que as cervejarias de Niterói levarão para o Mondial. Legenda: ABV significa teor alcoólico e IBU, grau de amargor (quanto maior o número, maior o amargor da cerveja)



Belgarioca


A marca cigana, que só produz cerveja do estilo Belga, levará seus cinco rótulos que já se encontram no mercado que são: Sigle Trapista, Saison, Belgian Pale Ale, Blond Ale e Tripel.


Os lançamentos serão:

Triple Hop (Belgian IPA, com 6.3 % ABV e 58 IBU)

Xmas Ale (Mix fermented Sour, com 5,7 % ABV). Esse rótulo é um blend de cerveja Sour envelhecida em barril de carvalho francês.


- É o segundo ano que a gente participa do Mondial. Estamos indo com mais experiência, muita disposição e grande expectativa, principalmente, em relação aos dois lançamentos – afirmou Daniel Bastos, um dos sócios da Belgarioca.


Brewlab


Cervejeiro e um dos sócios da marca, Guilherme Rebelo, informou que a BrewLab terá duas torneiras fixas no estande da Beer Underground. Ambas serão ocupadas com lançamentos feitos para o Mondial. Ele fala sobre o perfil sensorial dos novos rótulos:


XpLab #4 – “Uma potente American Strong Ale produzida em parceria com Bruno Lopes e Nick, dois cervejeiros de mão cheia que estão desde sempre próximos da BrewLab. Possui 8,2% ABV e 50 IBC. O aroma cítrico-resinoso vem de uma generosa adição de cinco lúpulos americanos clássicos que são: Centennial, Chinook, Simcoe, Amarillo e Citra. Sua base de maltes é extremamente rica, composta por maltes Maris Otter, Munich, Crystal e Caramunich I e II, equilibrando a lupulagem sem tirar seu brilho”.


CoLab Monstra – “É uma NE DIPA (New England Double IPA), com 7,7% ABV e 50 IBU. Foi feita em colaboração com a Cervejaria Criatura (RJ). Levou adição de lactose e aveia, regado aos lúpulos Sabro e Mosaic espancando em aromas tropicais que vão de coco a goiabada”.


A BrewLab faz parte da Vila Cervejeira, que fica no Centro de Niterói.


Malteca


A marca, que tem fábrica em Jurujuba, estará no estande da Beer Underground com quatro torneiras fixas. Duas serão sempre a Cream Ale e o lançamento feito para o festival: a Danúbio Doppel Weizenbock, uma colaborativa com a cervejaria Blumenau (SC). As outras duas mudarão a cada dia. Na abertura do evento estarão a Session IPA e a Dry Stout.


- Nossa Cream Ale está há mais de cinco meses como a número 1 do Untappd Brasil (aplicativo de avaliação de cervejas) dentro do seu estilo – comentou Diego Verticchio, um dos sócios da Malteca.


Sobre o lançamento, informou:


- O rio Danúbio nasce na Floresta Negra, na Alemanha, e percorre 2.8 mil km até desaguar no Mar Negro. Pelo caminho passam dez países e inúmeras capitais. Em sua nascente, o Danúbio passa por dois córregos: Brigach e Breg. Um provérbio muito comum na Alemanha diz que pequenos riachos fazem os grandes rios. A Danúbio Doppel Weizenbock é um estilo clássico alemão, provando que duas pequenas cervejarias fazem grandes cervejas. Essa é a primeira colab Cervejaria Blumenau, de Santa Catarina, com a Malteca Cervejaria, de Niterói. De cor âmbar médio e levemente turva, tem no aroma notas de frutas passas de caroço, banana passa e cravo. No sabor se apresenta aveludada, com dulçor médio/alto. Final com alto aquecimento alcoólico. Tem 9,5% ABV e 27 IBU.


Marauú


Essa marca cigana de Niterói chegou ao mercado em março passado. Thiago Bitencourt, um dos sócios da cervejaria, contou que o nome foi inspirado na Península de Maraú, localizada no Sul da Bahia. O motivo? Ele passou a lua de mel no local, ano passado, e simplesmente ficou apaixonado pela região.


- Nossas cervejas têm nomes de praias da região. Para o próximo ano, vamos lançar rótulos usando produtos de Marau. Pode ser cacau ou açaí – informou Thiago.


As cervejas da marca que estarão no Mondial são: Barra Grande (Pilsen), Itaipu de Fora (Senssion Ipa), Ponta do Mutá (Witbier) e Praia de Algodões (Weiss).


A marca está montando sua primeira loja em Niterói, no Mercado Municipal que tem previsão de inauguração em maio de 2023.



Masterpiece


A marca com fábrica no Cafubá terá 18 torneiras no seu estande de 18m², no Mondial. André Valle, CEO da Masterpiece faz questão de lembrar que, à exceção da Pilsen, todas as cervejas que estarão no evento foram premiadas em concursos nacionais e ou internacionais.


- Queremos que o público tenha uma experiência única ao ter a oportunidade de provar justamente nossas cervejas premiadas, nem sempre ao alcance de todos – afirmou.


Ele vai aproveitar o evento para lançar latas com a tecnologia de impressão Ball Digital Printing, que permite levar qualidade de fotografia para os rótulos.


Muita coisa que estará dentro das latas também são lançamento. Os rótulos da Masterpiece que serão apresentados no evento são:


Antônio Parreiras - Inspirado nas obras de Antônio Parreiras, considerado o maior pintor niteroiense de todos os tempos. É uma Catharina Sour com amora, que traz coloração vermelha intensa, sabor marcante e espuma rosada e cremosa. A imagem retrata uma de suas obras, que explora paisagens naturais, datada de 1982, com técnica de óleo em tela, inclusive em exposição no museu que leva seu nome, em Niterói.


Byron RandallCalifórnia Common, com notas de malte levemente tostado no sabor e lupulagem assertiva, entregando um amargor bem inserido e presente, trazendo em seu rótulo a obra do artista homenageado - o americano da Costa Oeste, conhecido por suas pinturas e gravuras expressionistas. O rótulo retrata a obra em homenagem à famosa Golden Gate Bridge, em São Francisco.


Wuthering Heights - English Bitter, que apresenta notas de caramelo, biscoito e tostado com alto drinkability, amargor médio com predominância dos lúpulos terrosos e uma longa maturação. Ilustra a obra “Morro dos Ventos Uivantes”, famoso romance inglês de Emily Brontë, pintada por Antônio Machado, artista plástico desde os anos 70. Seus quadros se encontram em acervos públicos e particulares no Brasil e exterior.


Charlotte - Catharina Sour com Jabuticaba, uma cerveja refrescante que apresenta um equilíbrio entre o dulçor da fruta e a acidez característica do estilo. Ela estrela em seu rótulo a obra do artista egípcio Mohamed Helal, o skyline da cidade de Charlotte, capital da Carolina do Norte (EUA).

Matisse


A Matisse vai lançar no Mondial uma IPA feita com a mesma base de outra, mas com lúpulos diferentes.


A Gatsby (o lançamento) leva Mosaic, Mandarina Bavária, Cashmere e Azacca.

A Sayre foi feita com Galaxy, Motueka e Hallertau Blanc.


- É uma boa oportunidade para quem quiser degustar as duas e observar o efeito dos lúpulos. Essa é uma experiência que vamos propor. É uma forma das pessoas perceberem a riqueza de possibilidades da cerveja artesanal – explicou Mário Jorge, um dos sócios da marca que tem taproom e bar na Vila Cervejeira, no Centro de Niterói.

Os nomes das cerveja homenageiam o casal Fitzgerald. Gatsby, de “O Grande Gatsby”, a principal obra de F. Scott Fitzgerald; Sayre é o sobrenome de solteira da Zelda Fitzgerald


O estande da Matisse terá 11 torneiras, sendo uma delas de autosserviço:





Noi e W-Kattz

A Noi vai lançar no Mondial uma Extra Special Bitter, cerveja da escola inglesa que representa o equilíbrio perfeito entre malte e lúpulo. Com 5% de ABV e 34 de IBU, a ESB da Noi “promete refrescar os cariocas sem perder o ar londrino”, como disse Bárbara Buzin, diretora da marca que tem fábrica em Itaipu.


Também vai apresentar a experimental Aqui é Dablius!, uma Sour com tangerina, acerola e maracujá, exclusiva para o Mondial.


Pela W-Kattz (que faz parte do portfólio da Noi), a novidade será a Negro Gato, uma Black IPA com 6% de ABV e amargor potente, com seus 45 de IBU.


A Extra Special Bitter e a Negro gato estarão disponíveis em chope, no evento, e terão suas versões em lata lançadas em breve.

O estande da Noi terá um total de 14 torneiras que estarão “ocupadas” com os seguintes rótulos: Oro (Pilsen), Avena (Belgian Pale Ale), Fiorella (IPA), Amara ( Imperial IPA), Nuova Terra ( NE IPA), Cioccolato (Russia Imperial Stout), Califórnia (APA), Nera (Schwarzbier), Negro Gato (Black IPA), Diavolo ( uma recém-premiada Belgian Strong Ale), ESB (Extra Special Bitter), Aqui é Dablius! (Experimental – Sour com tangerina, acerola e maracujá), Bárbara (Barley Wine) e Bianca (Weiss).


Na área externa do evento, a Noi terá seu FORD 28, membro mais antigo da família, com quatro torneiras. Lá, estarão plugadas as Pilsens, Bionda e Oro, além da Sicilia (Witbier) e Fiorella (IPA).

A Distilleria Noi, braço de destilados da marca, terá pelo segundo ano consecutivo um estande exclusivo com drinks que têm como base o GIN ION.

A Fractal não informou sobre sua participação no Mondial até o fechamento desta edição.


Matéria publicada originalmente no site A Seguir Niterói

Comentários


Destaques
Últimas
bottom of page