Amacerva-RJ sai do casulo e parte para luta pela redução de impostos

Prestes a completar dois anos de sua criação, a Associação das Microcervejarias do Rio de Janeiro (Amacerva-RJ) começa a sair do casulo. É assim que a atual presidente, Mariana Boynard, define o momento atual da instituição.  Na próxima semana, a diretoria tem agendada uma reunião com o assessor especial da secretaria estadual da Casa Civil e Governança, Bernardo Santoro. Na pauta, dois pleitos: fim da Substituição Tributária (ST) e redução do ICMS (Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias) para o segmento de cervejas artesanais no Estado do Rio de Janeiro.

 

 

“A Substituição Tributária recolhe imposto de toda a cadeia produtiva, com base na margem presumida de lucro. É um tributo muito alto, que encarece o produto e faz com que alguns cervejeiros percam o fôlego porque é obrigado a pagar o imposto antes da venda. Setores como joalheria e carnes já têm isenção da ST”, explica Mariana.

 

O documento a ser entregue ao Governo foi elaborado pelo advogado tributarista  Felipe Kertesz Renault. O objetivo da Amacerva-RJ é que o texto possa servir de base para um futuro Projeto de Lei, a ser apresentado para apreciação da Assembleia Legislativa (Alerj).

 

 

 

“Todo setor que está começando precisa de incentivo, de um ambiente que permita o crescimento. Da forma como está, o segmento da cerveja artesanal está engessado e com prazo de validade. Não leva para o Governo a arrecadação esperada. Com o crescimento do setor, a arrecadação aumenta, o que é bom para o Governo”, observa  o tributarista.

 

Mariana participa da Amacerva-RJ desde a sua criação – que por sua vez, saiu do papel depois de cerca de dois anos de discussões. Na gestão passada, exerceu o cargo de diretora-técnica. Agora, como presidente, tem desempenhado um papel “político”, de aproximação com Governos e outras instituições.

 

Desde janeiro, quando assumiu a presidência para um mandato de dois anos, passou a visitar municípios do estado, acompanhada por integrantes da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Relações Internacionais.

 

“Nosso estado é desorganizado. Precisamos de uma lei para gerir o nosso desenvolvimento. Queremos criar um Projeto de Lei para isso. É um processo demorado. Temos que escutar muito e ainda visitar muitos lugares. Percebo que o entendimento a respeito do nosso setor está aumentando e isso é muito importante para o nosso desenvolvimento”, afirma ela que também responde pela cervejaria Esplêndido, com sede em Pedra de Guaratiba, zona oeste da cidade do Rio.

 

Atualmente, a Amacerva-RJ tem 47 associados. Segundo Mariana, até outubro, o número aumenta em 25. Ela conta que o primeiro momento da instituição foi tomado pelas questões burocráticas que envolvem a criação de qualquer entidade, como por exemplo, a preparação do estatuto. Foi um período que os diretores “se prenderam por demais dentro do casulo”.

 

Mariana confirmou para novembro a realização da 5ª edição do Rio Craft Beer. No próximo

dia 23, a Amacerva-RJ realiza uma assembleia (no auditório da Firjan ou Sebrae, no Centro da cidade) para apresentar dois formatos de eventos para os associados escolherem o que deverá ser feito:

 

“Esse é um evento que as cervejarias organizam. Não terá uma produtora impondo um formato. Nós vamos botar nossa cara,  buscar independência”, afirma.

 

Para o próximo ano, os planos incluem a realização de seminários técnicos, a criação de um selo de localidade para identificar cervejas produzidas no Estado do Rio de Janeiro e um maior autoconhecimento. Explica-se: de acordo com a Associação Brasileira da Cerveja Artesanal (Abracerva), o Rio de Janeiro tem 62 plantas e 222 marcas cervejeiras. Mas a Amacerva-RJ quer fazer seu próprio levantamento.

 

O lema de Mariana é “organização, união e foco”. Uma falha a ser corrigida urgentemente? Segundo ela, a comunicação interna.

 

“O Governo já nos enxerga. Agora, temos apoio das secretarias de Cultura e Turismo para eventos. Vamos participar  mais de feiras de negócios que nos permitem fazer networking para gerar resultados para os associados. Mas precisamos estar unidos. Estamos saindo do casulo”, comemora.

 

 

Diretoria

 

Diretor Jurídico

Carlos Emílio Freitas @green_lab_beer

Diretor Financeiro

Marta Soares @maltecarioca

Diretor de Marketing e Comunicação

Pedro Fraga @wonderlandbrewery
Diretor Técnico

Luciano Mendonça @cervejadonna
Diretor de Eventos

Homero Neto @cervejariakuruma
 

 

              

                  Para comentar, aqui

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google +
Please reload

Destaques

Ambev e Pratinha se unem em busca de inovação cervejeira

14/11/2019

1/5
Please reload

Últimas
Please reload

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolináriosoniapolinario@yahoo.com.br