• Sônia Apolinário

Espumantes e sidras entram na lata para desembarcar nas comemorações de final de ano

Espumantes e sidras, em latas, são algumas novidades do segmento de bebidas para as festas deste final de ano.



Entre os espumantes, uma marca nacional e outra estrangeira chegaram ao mercado. Pelo lado brasileiro, foi lançada a Becas, marca criada pela Ponto Nero, empresa que faz parte do tradicional Grupo Famiglia Valduga, de Bento Gonçalves (RS).


A linha de vinhos frisantes chega ao consumidor em lata de 269 ml, em três variações: Joy Blanc e Fun Rosé (ambos meio seco) e Sweet Moscato (doce). Todas têm 7% de teor alcoólico e são feitas com 100% de uva, respectivamente, Chardonnay, Glera e Moscato.


Becas (pronuncia-se Bêcas) faz alusão à forma que os descendentes de italianos da região Sul do país chamam suas ovelhas. Os animais são usados como forma natural para controle da plantação contra espécies invasoras. Isso porque pastam em meio ao parreiral. De acordo com a empresa, graças às ovelhas, há uma “significativa” redução de uso de defensivos agrícolas.


A Ponto Nero é voltada apenas para a produção de espumantes. A linha Becas mira o público jovem.


“O mundo mudou e o consumo de vinhos encontrou novos caminhos. Becas é um produto pensado para uma degustação leve, simples e direto ao ponto, o que a torna uma escolha ideal para reuniões entre amigos e situações informais”, comenta Lucas Simões, enólogo do Grupo Famiglia Valduga.


Do Chile vem o rótulo Rita Sparkling Brut, da Vinícola Santa Rita. A bebida é elaborada com 100% de uva Chardonnay, tem 11,8% de teor alcoólico e, segundo a empresa, apresenta “equilíbrio entre a doçura e a acidez”.


A Vinícola Santa Rita foi fundada em 1880, em Santiago, a capital chilena.


“O Brasil é um dos países mais importantes para as exportações de Santa Rita, atualmente. Somos a segunda vinícola chilena em valor no País, atingindo 9,7% em participação de mercado. No ano passado, encerramos o período com crescimento superior a 6%, após dois anos em que o crescimento foi o mais alto para uma vinícola chilena no mercado”, informa Andres Lavados, CEO da Vinícola Santa Rita Estate.


Sidra


One Step at a Time é a série de sidras lançada pela cervejaria Dádida, de Várzea Paulista (SP). Trata-se de uma bebida alcoólica preparada com sumo fermentado de maçã. Os três rótulos da série têm 9,2% de teor alcoólico e estão disponíveis em latas de 473 ml diferenciadas por cores. Em todas, apresenta uma bebida límpida, de coloração amarela palha e gaseificada.


Fermentada com levedura de vinho branco, a bebida da lata amarela é a base usada para a criação dos outros dois rótulos. Tem sabor evidente de maçã, baixo dulçor e aromas delicados de frutas brancas.


A lata vermelha contém a sidra base infusionada com cacau, carvalho e canela. De acordo com a cervejaria, resultou em uma bebida “complexa” que “acompanha bem” sobremesas com frutas.


Na lata verde está a base que passou por um processo de dry hopping de Calypso. Dry hopping é a técnica de utilização de lúpulos na fase de maturação da bebida com o objetivo de acentuar, na bebida, os aromas trazidos pelo insumo. O lúpulo escolhido, o Calypso, tem como característica o cítrico e o frutado. O resultado final é uma sidra com amargor, que mistura aromas de maçã e pera com um toque de limão.


Com a linha One Step at a Time, a Dádiva dá início à produção regular de bebidas artesanais diferentes de cerveja. Luiza Tolosa, sócia da marca, falou sobre esses planos no Talk Chopp com a Lupulinário. Confira.


Curiosidade 1: One Step at a Time é o nome de uma música de Jordin Sparks, lançada em 2009. Confira o clipe.


Curiosidade 2: O Grupo Famiglia Valduga também produz cerveja. Trata-se da marca Leopoldina cujo beer sommelier Dennycker Kaefer participou do Talk Chopp com a Lupulinário. Confira.

Destaques
Últimas

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolinário