• Sônia Apolinário

Instituto Butantan ganha festa pelos seus 120 anos

Um mural do Eduardo Kobra, um selo comemorativo e um concerto da orquestra Brasil Jazz Sinfônica são alguns dos presentes que o Instituto Butantan vai ganhar pelos seus 120 anos. O aniversário será comemorado na terça-feira, dia 23. Com sede em São Paulo, o Instituto é o principal produtor de imunobiológicos do Brasil, responsável por grande parte da produção de vacinas que compõem o Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. O status de instituição celebridade, porém, chegou recentemente, por conta da produção de vacina contra o Coronavírus, a Coronavac.



A programação oficial pelos 120 anos do Instituto começa às 9h30, com a inauguração de um mosaico da artista Claudia Sperb, no Museu de Microbiologia. A peça foi idealizada pelo biólogo Henrique Canter, pesquisador do Butantan, em conjunto com a artista, que já doou outras obras ao Instituto. O presidente da Fundação Butantan, Rui Curi, fará a inauguração do mosaico.


Em seguida, será lançado, pelos Correios, o selo em homenagem à instituição. A peça traz imagens das fachadas de duas construções icônicas do Butantan, que datam de diferentes épocas: o Edifício Vital Brazil, mais conhecido como Prédio da Biblioteca ou Prédio Central, e a Planta de Anticorpos Monoclonais (PAM), concluída no primeiro semestre de 2020. Também será emitido um carimbo comemorativo com o mesmo tema, que reproduz a logomarca do Butantan e a inscrição “120 anos”. A cerimônia também vai homenagear profissionais que marcaram a história do Butantan.


Como um bom aniversário, terá o momento para cantar o “Parabéns pra Você”. A confeitaria especializada em doces artísticos Carlos Bakery, sediada em Nova Jersey, (EUA), com filial em São Paulo, ofereceu um bolo especial para celebrar a trajetória do Instituto, que será cortado às 14h30.


Eduardo Kobra


Às 16h, o diretor do Instituto Butantan recebe o mural (foto no alto) criado pelo artista Eduardo Kobra, um painel com 1m80 por 1m80.

“Produzi essa tela no começo do ano passado, quando estávamos ainda no início dessa terrível pandemia. A obra expressa a esperança na produção de uma vacina. E agora, em 2021,resolvi homenagear todos os cientistas brasileiros e as grandes entidades que estão lutando dia e noite em prol da vida. Espero que fique exposta na sede da instituição como uma lembrança e homenagem permanente a todos os funcionários”, comentou o artista que também doará um painel, com as mesmas dimensões, para a Fiocruz, no Rio de Janeiro.


Recentemente, Kobra transformou um cilindro de oxigênio, em desuso, de 1m30, em uma obra de arte, exemplar único, chamada “Respirar” (foto). É a primeira ação do recém-criado Instituto Kobra, que tem como base a premissa de que a arte é um instrumento de transformação.


Empresários compraram a obra por R$ 700 mil. Segundo o artista, com o montante, o Instituto vai aplicar na instalação de duas usinas de oxigênio a serem entregues à Secretaria Estadual da Saúde do Amazonas.


No momento, o cilindro está em exibição, em São Paulo, no piso térreo do Shopping Iguatemi e poderá ser visto até o próximo dia 28 de fevereiro. É possível fazer doações através de um QR Code para que novas usinas sejam levadas à região Norte do país. Após a exposição, a obra irá para o Hospital Israelita Albert Einstein, também em São Paulo.


Concerto


A última atração da programação de aniversário do Instituto Butantan será um concerto da orquestra Brasil Jazz Sinfônica, que será transmitido pela TV Cultura, a partir das 20h, ao vivo, do Memorial da América Latina (SP). Com regência dos maestros Ruriá Duprat e Mauricio Galindo, a apresentação contará com a participação do cantor Renato Braz


Na primeira parte do concerto, serão executadas músicas instrumentais sob a batuta de Galindo. Na segunda parte, Ruriá Duprat conduzirá a orquestra numa seleção musical com foco em superação, cura e esperança. A apresentação também poderá ser acompanhada pelas redes sociais e canais do Memorial da América Latina e Instituto Butantan no YouTube.

No início deste mês, a Brasil Jazz Sinfônica gravou o clipe,”Estão Voltando as Flores”, na sede do Instituto, em homenagem ao Butantan. Quem também produziu um clipe em homenagem ao instituto foi o funkeiro MC Fioti. Uma de suas músicas, “Bum bum tam tam”, lançada em 2017, acabou se tornando “Hino da Coronavac”, quando a produção da vacina foi anunciada pelo Butantan.


Em homenagem aos funcionários e cientistas, MC Fioti fez uma versão da sua música, batizado “Remix Vacina Butantan” e gravou um clipe no próprio instituto.


Instituto Butantan


Criado inicialmente como um laboratório de produção de soro para combater a peste bubônica, o Butantan foi reconhecido como uma instituição autônoma em 23 de fevereiro de 1901.



Conheça a história do Instituto Butantan


Acompanhe todas as informações sobre a Coronavac


Acompanhe as informações sobre a pandemia do Covid-19 diretamente no portal do Instituto Butantan

Destaques
Últimas

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolinário