• Sônia Apolinário

Ponte de Pedra do Parque da Cidade é patrimônio histórico municipal

A Ponte de Pedra, na Trilha Colonial do Parque Natural Municipal de Niterói (Parnit ou Parque da Cidade), agora faz parte do Patrimônio Histórico, Cultural e Arquitetônico da cidade. A área foi descoberta e recuperada, em dezembro do ano passado, por uma equipe de voluntários do Parque. O tombamento foi publicado no Diário Oficial do Município e se estende aos demais elementos de natureza histórica, cultural e arquitetônica dessa unidade de conservação ambiental de Niterói que vierem a ser descobertos e catalogados.


A Ponte de Pedra, construída na década de 1830 por africanos escravizados e serviu de passagem para indígenas e mercadores no período colonial. Durante quatro meses, cinco voluntários que atuam no Parque participaram do trabalho de escavação para resgatar essa parte histórica da cidade. Eles contem com o apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade (SMARHS), que instalou uma placa para marcar a ação de resgate do monumento.


“Este patrimônio encontrado em nossa cidade será profundamente estudado a partir da integração do olhar ambiental e histórico. Além disso, o local se torna mais uma atração turística, em Niterói. E o turismo é uma das chaves da nossa retomada econômica, com geração de emprego e renda. Parabéns a todos os envolvidos neste lindo trabalho”, comemorou o prefeito Axel Grael.

Até dezembro de 2020, somente uma pequena área da Ponte de Pedra era visível. O gerente de vendas aposentado e montanhista Ezequiel Vicente Gongora, o Ziki, de 73 anos, foi quem teve a ideia da escavação do local e participou do trabalho ao lado de quatro voluntários. Foi após a retirada de 52 metros cúbicos de terra que o "tesouro" foi encontrado.


A Trilha Colonial é uma caminhada que dura cerca de 30 minutos e percorre 1,3 quilômetro. Tem como referência o portão de entrada para o Parque da Cidade, sede do Parnit. É considerada uma trilha leve, de acordo com o mapa de trilhas da cidade elaborado pela prefeitura e integra o Circuito Temiminó, inaugurado em 2019.

A trilha Colonial era o caminho utilizado para o escoamento da produção de cana-de-açúcar e café que saíam das fazendas situadas na atual Região Oceânica de Niterói, em direção ao Rio de Janeiro.


Fotos da ponte: Douglas Macedo, assessoria de imprensa prefeitura de Niterói



A entrada para o Parque da Cidade é pela Estrada da Viração, s/n°, no bairro de São Francisco. O local é uma área de preservação ambiental (APA) do município desde 2014. Está localizado no alto do morro da Viração, numa altitude de 270 m, ocupando uma área de 149.388,90 m².


Inaugurado em 1976, possui um mirante com uma visão panorâmica única das Lagunas, Praias Oceânicas, bairros de Niterói, Baía de Guanabara em toda a sua extensão e do mar aberto até onde a vista consegue alcançar. Avista-se também a cidade do Rio de Janeiro com alguns de seus bairros e a Ponte Rio – Niterói. Sua vista panorâmica teve pontuação máxima no Guia Verde Michelin. O Parque conta com duas rampas para a prática de vôo livre, sendo muito frequentado pelos praticantes desse esporte. Antes da pandemia do Coronavírus, acompanhar o pôr do sol de uma das rampas era programa tradicional, na cidade (foto).


No momento, o funcionamento é de Terça a Domingo, de 07h às 18h, limitado a 350 pessoas. Entrada franca.


Conheça o Parque e todas as suas trilhas, aqui


Foto: Visit Niterói

Destaques
Últimas