• Sônia Apolinário

Estilo de cerveja da cidade alemã de Colônia, tem Kölsch no Carnaval de Niterói

Atenção galera de Niterói (RJ). Uma Kombi vai ficar estacionada na frente do Fina Cerva, na rua Nóbrega (Jardim Icaraí), durante o Carnaval. Trata-se da “unidade móvel” da Bamberg, na cidade. Serão quatro torneiras que se juntarão às 12 do bar (de sábado (26) a terça-feira (1de março), a partir das 13h). Uma dica é experimentar uma Kölsch, cerveja de um estilo alemão pouco produzido no Brasil e que na Alemanha só é encontrada em uma única cidade: Colônia (Köln). Lá, por sinal, é palco de um dos maiores carnavais daquele país e, neste momento, está em plena folia. Saiba mais sobre esse estilo e evite cometer uma gafe alemã das mais terríveis.

Kölsch não é um simples nome de estilo de cerveja. A palavra significa “coloniano” e denomina um grupo de dialetos falado, principalmente, em torno de Colônia. É considerado um dos poucos dialetos urbanos da Alemanha.


Uma das mais antigas cidades do país, Colônia foi fundada em 38 A.C. Era um importante centro medieval de peregrinação, o que levou prestígio e riqueza para a cidade. O comércio prosperava com a venda de todo tipo de produto para os visitantes. A cerveja era um desses produtos e tinha uma importância ainda maior por ser, na época, uma bebida mais segura do que a água. A cerveja daquela época era de trigo (Weizen) escura, turva, de alta fermentação. A atual cidade de Düsseldorf fazia parte de Colônia. A rivalidade entre os dois lugares, distantes cerca de 45 Km, começou quando a “novata”, originária de uma pequena vila de pescadores, se tornou independente, em 1288. As cidades acabaram criando estilos de cerveja diferentes, como uma das formas de enfatizar suas próprias diferenças: Kölsch (Colônia) e Altbier (Düsseldorf). A rivalidade entre elas e suas cervejas é tipo Fla X Flu ou Rio X São Paulo – ou seja, não se brinca com o assunto. O estilo que, mais de um século depois, veio a ser chamado de Kölsch surgiu no final de 1800. Sua criação é atribuída à Cervejaria Sünner. O termo Kölsch começou a ser utilizado em 1918, para descrever “uma cerveja de fermentação alta, leve, límpida, muito atenuada, com ênfase em lúpulos” e uma base com algum trigo. Nos primórdios do estilo, era mais lupulada. Foi na década de 1960 que os cervejeiros de Colônia decidiram que só Kölsch seria produzido na cidade. Até então, ainda havia quem continuasse tentando fazer Pilsner. Eles vinham filtrando a cerveja, ajustando a lupulagem e passando a fazer períodos de maturação mais longos na infrutífera tentativa de copiar o estilo originário na República Tcheca. E assim a Kölsch foi sendo forjada. Em 1986, Colônia torna o estilo uma denominação de origem, protegida pela Kölsch Konvention. A Kölsch é uma cerveja mais leve do que a Altbier. No guia BJCP, o estilo de Colônia está agrupado entre as Pale Bitter European Beer, categoria que descreve cervejas de origem alemã claras, com leve a moderadamente forte caráter lupulado; feitas à baixa fermentação com maturação a frio. A Kölsch é uma cerveja delicada, de cor dourada muito clara a dourada clara, transparente e brilhante. Sua espuma não deverá persistir. No sabor, o malte é suave, com característica leve de pão ou mel. O teor alcoólico fica entre 4,4% e 5,2% e o amargor entre 18 e 30 IBUs. Tanto Colônia quanto Düsseldorf criaram o copo “certo” para suas cervejas, que são praticamente idênticos. Ambos são cilíndricos (stange). O da Kölsch é mais alto e fino do que o da Altbier e cabem 200 ml de bebida, enquanto o copo “rival” tem capacidade para 250 ml. Nas duas cidades, quem se sentar em uma brewhouse não terá opções de escolha. A cerveja “da casa” é automaticamente servida. Apesar de ser o mesmo estilo, cada cervejaria produz a sua com diferenças sutis entre elas. E nunca, jamais, peça uma Kölsch em Düsseldorf ou uma Altbier em Colônia. Assim, uma informação que os alemães não podem saber: a cervejaria Bamberg, com sede em Votorantim (SP), produz tanto Kölsch quanto Altbier. A primeira é sazonal, feita para o período do Carnaval, enquanto a segunda é de linha. Ou seja, quem quiser conhecer o estilo da cidade de Colônia, em Niterói, a hora é agora.

O Fina Cerva fica na Av. Sete de Setembro, Loja 103, no Jardim Icaraí, com entrada pela Rua Nóbrega.


Leia também: Perfil @lupulinario do Instagram foi roubado

Destaques
Últimas