• Sônia Apolinário

Congresso discute criação de trilha que permitirá caminhar de norte a sul pelo continente americano

A estruturação de uma trilha que ligue o Alaska à Patagônia, para servir como base para a criação de uma Rede Pan Americana de Trilhas, é um dos temas que será debatido no 1º Congresso Brasileiro de Trilhas. O evento será realizado no Centro Cultural Oscar Niemeyer, em Goiânia (GO), entre os próximos dias 25 e 29.


Com inscrição gratuita, o Congresso será híbrido (presencial e on-line). Os principais objetivos são integrar e capacitar os diversos organismos envolvidos na implementação das trilhas de longo curso no território nacional. Atualmente, o Brasil tem 12 trilhas estruturadas, que somam 5.500 Km em em 26 estados e no Distrito Federal e passam por cerca de 400 unidades de conservação.


O evento é uma iniciativa da Rede Brasileira de Trilhas, uma associação sem fins lucrativos, que visa implementar trilhas no país. O trabalho é feito a partir do entendimento que as trilhas funcionam como ferramenta para conservação ambiental e desenvolvimento do turismo, tanto a nível local quanto regional e nacional. Um dos painéis, por exemplo, tem como tema a popularização do turismo em bicicleta em trilhas de longo curso.


Além das palestras, o 1º Congresso Brasileiro de Trilhas contará com minicursos, oficinas técnicas para gestores e voluntários, fóruns para acordos institucionais e visitas técnicas em trilhas de Goiás. As atividades acontecem simultaneamente a uma feira de negócios.


Trilhas


Das 12 trilhas que constam dos roteiros da Rede Brasileira de Trilhas, uma é na cidade do Rio de Janeiro, a Transcarioca. No Estado, ainda está em construção a trilha batizada Caminhos da Serra do Mar.


A Transcarioca cruza a Cidade Maravilhosa por um percurso de aproximadamente 180 km, saindo (ou chegando) da Barra de Guaratiba até o Morro da Urca, aos pés do Pão de Açúcar.

Ao longo do trajeto, o visitante tem a oportunidade de apreciar atrativos naturais pouco conhecidos da cidade e descortinar o Rio de Janeiro de ângulos inusitados. A trilha pode ser percorrida na sua integralidade ou em seções, de acordo com o interesse, a aptidão e a disponibilidade de tempo de seus usuários. O percurso é dividido em 25 trechos

Essa trilha interliga nove unidades de conservação de proteção integral. Ainda permite o acesso a áreas protegidas como o Sítio Burle Max, o Parque Estadual da Chacrinha, o Museu do Açude e o Jardim Botânico do Rio de Janeiro.


Para se inscrever no evento, clique aqui


Faça um passeio virtual pela Transcarioca








Destaques
Últimas