• Sônia Apolinário

Aumento de casos de Covid derruba movimento de bares em Niterói

O aumento de casos de Covid em Niterói (RJ) acendeu uma luz amarela de alerta, na cidade. É tanta gente “positivada” que no segmento de bares e restaurantes, o movimento já caiu cerca de 30%. Apesar de as regras para funcionamento desses estabelecimentos não terem sofrido alterações, por parte da prefeitura, eventos já estão sendo cancelados.


No município vizinho do Rio de Janeiro foram registrados 56.227 novos casos de Covid em sete dias, o pior resultado de toda a pandemia, até o momento. Em Niterói, mais de 2 mil casos de Covid foram confirmados em um único dia, em 12 de janeiro passado.


Na cidade, entre os últimos dias 10 e 17 de janeiro, aumentou de 17 para 52 o número de pessoas internadas por Covid em leitos de UTI nos hospitais privados de Niterói. Nesse mesmo período, a ocupação dos quartos por pacientes com a doença subiu de 15 para 63.

A consequência desse quadro é estabelecimento funcionando com equipes reduzidas por conta de afastamento de funcionários e queda de movimento, porque os clientes estão “positivados”.


O presidente do Sindicato de hotéis , restaurantes, bares e similares de Niteroi (SINDLESTERJ) Alexis Japiassu informou que, em pesquisa informal entre os associados, o quadro de Niterói é de 10% dos funcionários afastados por suspeita de Covid, neste momento. Sobre queda de movimento, a média, está em torno de 30%. Ao mesmo tempo, ele observa um aumento de cerca de 10% no delivery.


Beto Caveari, presidente do Polo Gastronômico do Jardim Icaraí, faz coro com Japiassu:


“Percebemos uma queda no movimento que ficou ainda maior da semana passada para cá, entre 20%, 30%, por conta de muitas pessoas positivadas para Covid. Ao mesmo tempo, tivemos um ligeiro aumento no delivery justamente porque as pessoas estão sem poder sair de casa. Pelo mesmo motivo, em todos os estabelecimentos, as equipes estão reduzidas”.


Guilherme Alfradique, beer sommelier do Dona Cevada, bar especializado em cerveja artesanal, no Jardim Icaraí, também detectou a queda do movimento.


“Aqui no bar e na Rua Nóbrega, onde estamos, o movimento caiu entre 30% e 50% porque tem muita gente positivada para Covid. Entre os nossos clientes, a todo momento, mais um informa que testou positivo. Está geral”.


Diante desse quadro, eventos foram cancelados. Primeiro, a cervejaria Matisse adiou, por tempo indeterminado, a inauguração do seu taproom, o Les Fauves, que estava prevista para acontecer no último dia 15, na Vila Cervejeira, no Centro de Niterói.


– Os casos de Covid estão explodindo e está ficando inviável fazer qualquer evento – afirmou Mário Jorge, sócio da marca.


Mesmo sem festa de inauguração, ele poderia abrir o Les Fauves, mas preferiu manter o local fechado, por um tempo.


A própria Vila Cervejeira cancelou o evento que faria no próximo dia 22, quanto teria música ao vivo e o tradicional pula pula das crianças. Porém, o funcionamento individual dos taprooms das sete marcas “residentes” do espaço fica a critério de cada um. Ainda assim, para entrar no espaço, é preciso apresentar comprovante de vacinação contra Covid-19.


No caso da Dead Dog, o cervejeiro Sandro Gomes se organiza para fazer alguns movimentos de recuo, em termos de funcionamento para o público. No momento, ele vai reforçar o serviço de delivery.


“No início da pandemia, as pessoas achavam que os locais não iriam fechar e continuavam saindo. Agora, percebo que as pessoas estão ficando em casa, até porque muitas testaram positivo. Mesmo quem não está positivado, está ficando bem menos tempo na rua. Isso pode vir a alterar horários de funcionamento”, observa Sandro.


Enquanto você está lendo essa matéria, é muito provável que os números relacionados com a pandemia já tenham mudado. Para mais.



Destaques
Últimas