Escola paulista Nenê de Vila Matilde leva a história da cerveja para desfilar na avenida

No Carnaval de São Paulo, a cerveja vai sair dos camarotes e arquibancadas para, literalmente, invadir o Sambódromo do Anhembi. A bebida é o tema do desfile do Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Nenê de Vila Matilde que levará para a avenida  o enredo  “O Presente da Deusa e o Brinde da Águia”. 

 

Feito sob encomenda de alguma marca? Bem que a escola queria. Porém, no quesito patrocínio cervejeiro, a agremiação vai desfilar de garganta seca.  O tema foi definido pela diretoria e vai marcar a estreia, na escola, do carnavalesco Zilkson Reis, ex-Mocidade Alegre e Gaviões da Fiel. 

 

“O desfile será dividido em quatro setores. Os dois primeiros vão contar a história da cerveja, da sua origem na Suméria, passando pelos grandes impérios que a bebida conquistou até a chegada da cerveja no Brasil. Os últimos fazem uma relação entre a cerveja e a cultura do país”, explica Gledson Neix, diretor de Comunicação da escola de samba.

 

Mais conhecido como o influenciador digital @publi_cerveja, ele acabou de lançar uma cerveja colaborativa, dentro de um projeto que envolve uma rede de supermercado e uma marca artesanal. Gledson, porém, frequenta a escola, há muitos carnavais, como folião. Desde 2016, colabora com a Comunicação da agremiação. 

 

Criador da logomarca do carnaval deste ano, ele conta não ter se envolvido na elaboração do enredo. Apenas forneceu para o pesquisador Júlio Poloni alguns livros, para ajudar com informações.

 

Na letra do samba, não consta o nome da deusa da cerveja, Ninkasi. Ela, porém, estará presente no desfile. A Lei da Pureza Alemã ganhou uma ala bem como os taberneiros, que estarão representados na fantasia das baianas. A bateria vai exemplificar a diversidade dos estilos de cerveja, com roupas em quatro tonalidades diferentes – do preto ao amarelo palha.

 

As alas Happy Hour, Churrasco, Roda de Samba e Praia vão explicitar a cantada relação entre a cerveja e a cultura dos brasileiros. O último dos quatro carros encerra o desfile com o brinde da águia, símbolo da escola, ao seu fundador, o sambista paulistano Alberto Alves da Silva, o Seu Nenê, que morreu em 2010.

 

Integrante do Grupo de Acesso 1, a tradicional Nenê de Vila Matilde será a terceira escola a desfilar no domingo, dia 23, às 23h. Na opinião de Gledson, a agremiação está com “fantasias impecáveis” para seus dois mil componentes encararem o Sambódromo.

 

Vai ter celebridade cervejeira na avenida? Ele diz que não.

 

“A cerveja artesanal costuma ser mais vinculada ao rock do que ao samba. Convidei alguns influenciadores para virem na quadra da escola. Foi uma nova experiência para esse pessoal. Fazer essa mistura é muito bom. É a cara da cerveja”, afirma Gledson.

 

 

                                               

                                               Aprenda a letra e ouça o samba, aqui

 

                                Crédito das fotos das fantasias: Quintal das Estrelas @oficial_felipechaves

 

                                                               Para comentar, aqui

 

 

Compartilhe no Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google +
Please reload

Destaques

Pernaltas e a arte de brincar o carnaval nas alturas

08/02/2020

1/5
Please reload

Últimas
Please reload

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolináriosoniapolinario@yahoo.com.br