Hacking.Rio 2019 promoverá maratona em busca de soluções inovadores para 17 setores

Cerca de 1.500 hackers são esperados, entre os dias 18 e 20 de outubro, no Aqwa Corporate, no Porto Maravilha (RJ), para participar de uma “maratona de soluções”. O Hacking.Rio tem como objetivo criar soluções para problemas em 17 segmentos que vão de educação a segurança, passando por sustentabilidade, construção e economia criativa. Um prêmio de R$ 15 mil será entregue ao melhor projeto.

 

Os clusters (temas) a serem trabalhados pelos hackers são: educação; energia; esporte; alimentação; construção, economia criativa; seguros; mobilidade; óleo & gás; distribuição e conveniência; segurança, defesa e cybersecurity; sustentabilidade e oceanos; cooperativismo de plataformas e turismo. Os participantes contarão com o suporte de mentores técnicos e especialistas do segmento.

 

Os times vencedores de cada hackathon ganharão R$ 1,5 mil. Os melhores projetos receberão como prêmio R$ 15 mil (vencedor), R$ 5mil (2º lugar) e R$ 2,5 mil (3º lugar).

 

 

NASA Space Apps Challange 2019

 

O Hacking.Rio abrigará o hackaton internacional NASA Space Apps Challange 2019. A competição da agência espacial dos Estados Unidos acontece, simultaneamente, em 200 cidades ao redor do mundo. Os organizadores do evento brasileiro informam que, nesta edição, a NASA vai compartilhar com as equipes dados colhidos em diversas missões.

 

Em paralelo às maratonas de desenvolvedores, a programação do Hacking.Rio contará com um congresso e um “fórum de novos negócios”. Dentre os participantes, CEOs de empresas como KICK Ventures (investidores de startups), VTEX (plataforma de e-commerce) e Recode (ONG de empoderamento digital).

 

 “Na era da transformação digital, em que buscamos criar negócios exponenciais e reinventar nossas carreiras, o hackathon é uma ferramenta de aprendizado coletivo, ágil, uma experiência única para ajudarmos a inspirar a nova geração de “smart people”, diz Lindália Junqueira, realizadora do Hacking.Rio.

 

Em 2018, em sua primeira edição, o evento reuniu 589 hackers, 187 mentores e 41 jurados. Foram desenvolvidos 115 projetos, em 42 horas de programação. A equipe vencedora atuou na área de educação e criou o “FocaAí”: um método de avaliação do desempenho de alunos sem provas tradicionais, através de uma tecnologia de reconhecimento facial.

 

Jovens do Rio de Janeiro, São Paulo e Ceará – que se conheceram no evento - formaram um grupo de cinco integrantes e desenvolveram um sistema de análise que mede o engajamento do aluno de ensino à distância pela webcam. O “FocaAí” usa os sensores da câmera do computador para medir reações. Ao mesmo tempo, uma inteligência artificial analisa o percentual de engajamento do aluno, sua chance de evasão e faz ainda um rankeamento entre os estudantes. Dessa forma, é possível adaptar o formato do conteúdo, mudar a abordagem ou ainda definir ações personalizadas por parte do professor. Essa equipe representou o Brasil no Techcrunch Disruptive 2018, evento de tecnologia que aconteceu em São Francisco (EUA), e passou por uma mentoria com alunos brasileiros do MIT (Massachusetts Institute of Technology) e de Harvard.

 

O Hacking.Rio será realizado, nos dois dias, das 9h às 20h.

O AQWA Corporate fica na Via Binário do Porto, 299, Porto Maravilha, RJ.

 

 

                                                              Para comentar, aqui

 

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google +
Please reload

Destaques

Ambev e Pratinha se unem em busca de inovação cervejeira

14/11/2019

1/5
Please reload

Últimas
Please reload

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolináriosoniapolinario@yahoo.com.br