Feira transforma Marina da Glória em enorme galeria de arte

Valorização da arte brasileira, pluralidade e acessibilidade formam o tripé da Feira de Arte do Rio de Janeiro (ArtRio). A nona edição do evento vai transformar a Marina da Glória em uma imensa galeria de arte,  de amanhã (quinta-feira 19), a partir das 13h, a domingo - hoje a entrada é para convidados.  Além de exposições, serão realizados debates, exibições de vídeo e lançamento de livros.

 

O espaço principal da feira é formado pelas “coleções” Panorama e Vista. A primeira reúne galerias com atuação estabelecida no mercado de arte moderna e contemporânea. A segunda é formada por empresas com até 10 anos de existência, contando com projetos expositivos desenvolvidos exclusivamente para a feira. Ao todo, 80 galerias ocupam essa área.

 

Em outro espaço, acontece a segunda edição do “Brasil Contemporâneo”, onde 11 galerias apresentam projetos de artistas residentes ou oriundos de cidades localizadas fora do eixo Rio de Janeiro - São Paulo. Nessa área, também será possível conhecer a Bordallo Pinheiro, fábrica centenária de faianças (uma forma de cerâmica branca), que convidou importantes artistas brasileiros para criarem uma coleção limitada.

 

 

 

“Em 2019, demos continuidade ao nosso enfoque principal que é a valorização da arte brasileira. O programa Brasil Contemporâneo vem fortalecido com galerias que fazem sua estreia na ArtRio esse ano. Um ponto muito importante é a pluralidade da arte. Queremos valorizar todas as formas de manifestação artística como um reflexo direto de nossa cultura, de quem somos e como projetamos nosso futuro”, afirma Brenda Valansi, presidente da ArtRio.

 

Segundo ela, no quesito programação, "pluralidade e acessibilidade são as principais palavras". Brenda explica que a produção extrapolou os limites da Marina da Glória para uma "programação mais plural", que inclui o ArtRio Educacional, que leva uma exposição interativa sobre a História da Arte a quatro shoppings da zona norte carioca.

 

O ArtRio Educacional tem curadoria da museóloga e professora de arte Libia Schenke. A mostra vai contar com dez totens, com vídeos autoexplicativos, na voz da cantora Roberta Sá, que apresentam períodos da história da arte, do Renascimento ao Expressionismo Abstrato. Cada totem traz dados sobre o movimento artístico através da imagem de uma obra emblemática. Entre os artistas divulgados estão Cézanne, Miró, Picasso, Monet, Manet, Matisse. A exposição fica no Bangu Shopping até o dia 29 de setembro. Depois, seguirá para os Shoppings Caxias, Grande Rio e Carioca.

 

Dentre todas as atrações da FestRio, Brenda destaca o programa “Solo”, com curadoria da brasileira radicada na França Sandra Hegedus, que "traz um recorte de sua coleção particular, com obras de artistas com quem, de alguma forma, tem uma relação”. No caso, o paulista Rodrigo Bueno.

 

 

 

Uma novidade deste ano foi a reunião, em um mesmo espaço de três “atrações”: o “Conversas ArtRio”, o “Mira” e o “Palavra”. A primeira será o ponto de encontro para  uma série de palestras, debates e encontros com artistas, galeristas, colecionadores e curadores. “Mira”, na sua terceira edição, explora narrativas visuais de artistas consagrados e novos nomes que usam a vídeo arte como plataforma. Já “Palavra” é onde serão realizadas conversas, leituras e performances de poetas e artistas que trabalham com a temática.

 

Segundo Brenda, aproximar essas atrações teve como objetivo criar um “espaço para reflexão e debate para novos formatos de arte e para uma análise mais profunda da situação do mercado no país”.

 

Sobre essa questão, ela afirma que o desafio dos representantes da ArtRio “está na discussão com os poderes públicos para o tema referentes a impostos”. Já em termos de “tendência”, observa que o segmento “está sempre muito ligada ao momento cultural e político pelo qual uma sociedade está passando”.

 

“Em momento de crise e de condições adversas, é quando a criatividade mais aflora”, afirma Brenda também idealizadora da feira,  que comprou as partes no evento dos então sócios Luiz Calainho, Alexandre Accioly e Elisangela Valadares.

 

Como está o panorama brasileiro das artes plásticas atualmente?

BV: O Brasil já é reconhecido como um mercado em amadurecimento, seguindo as mesmas práticas de mercados internacionais. Temos artistas reconhecidos globalmente e de talentos incontestáveis.

 

Qual sua principal orientação para o  público não se sentir perdido em meio a tantas obras?

BV: Visite o site www.artrio.com ; veja o conceito de cada Programa, como as galerias são selecionadas e a lógica da seleção das obras. Porém, a ArtRio é um momento de encontro com a arte. Dessa forma,  todas as experiências são válidas.

 

 

 

Homenagem

 

Um dos maiores nomes do fotojornalismo brasileiro, Evandro Teixeira vai ganhar uma homenagem nesta edição da ArtRio. No jardim da Marina da Glória, será montada uma exposição com imagens emblemáticas feitas por ele, nos anos 1960-1970, no Rio de Janeiro. Entre os cliques selecionados pela curadora Marcia Mello, destacam-se a foto de Leila Diniz, de maiô, filmando na praia; Dorival Caymmi, com seu violão na praia de Copacabana; e a mítica imagem dos artistas Chico Buarque, Tom Jobim e Vinícius de Moraes, deitados em cima de uma mesa de bar, na comemoração do aniversário do poetinha. 

 

Aos 84 anos de idade, Evandro Teixeira traz na bagagem registros de momentos importantes da história recente do Brasil e da América Latina, além de grandes acontecimentos internacionais. Extremamente versátil, destacou-se em diversos campos da cobertura jornalística, da política ao esporte, passando pela cultura. Entre os momentos marcantes de sua carreira figuram a cobertura da chegada do general Castello Branco ao Forte de Copacabana durante o golpe militar de 1964, a repressão ao movimento estudantil no Rio de Janeiro, em 1968, e a queda do governo Salvador Allende, no Chile, em 1973. 

 

 

 

As fotos de Evandro integram acervos de museus como o de Belas Artes de Zurique, na Suíça; Museu de Arte Moderna La Tertulha, na Colombia; o Masp, em São Paulo, o MAM e o MAR, ambos no Rio de Janeiro. Em 1994, ganhou um verbete na Enciclopédia Suíça de Fotografia, que reúne os maiores fotógrafos do mundo.

 

Na área externa da ArtRio 2019 também haverá uma obra interativa de Ricardo Siri e instalações de Hélio Oiticica, Neville D'Almeida e do coletivo Opavivará.

 

Premiação

 

Durante a feira, serão conhecidos os selecionados do Prêmio Foco ArtRio, voltado para jovens talentos. Serão selecionados dois artistas, que receberão residências artísticas com direito a bolsas para dedicação exclusiva. 

 

 

 

Serviço

ArtRio 2019

 

Data: 19 a 22 de setembro 

Horário: quinta-feira a sábado, das 13h às 21h, domingo,  das 13h às 20h

Local: Marina da Glória - Avenida Infante Dom Henrique, S/N, Glória - RJ

Ingresso: R$ 60 / R$ 30 por dia, com possibilidade de compra de passaporte para vários dias e combo família.

 

Para comentar, aqui

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google +
Please reload

Destaques

Cervejarias do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo marcam presença no Talk Chopp com a Lupulinário em maio

04/05/2020

1/5
Please reload

Últimas
Please reload

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolináriosoniapolinario@yahoo.com.br