• Sônia Apolinário

Festival Sabores de Cabo Frio convida o público a dar uma volta ao mundo


A sétima edição do Festival Sabores de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, será realizada de 3 de setembro a 3 de outubro com a participação de 62 estabelecimentos. Este ano, o Espaço Gourmet volta a ser montado no Shopping Park Lagos.


Suspenso na edição passada (2020), o Espaço será palco para chefs e cozinheiros convidados do festival ensinarem suas receitas, sob os olhares do público. Funcionará a partir de 10 de setembro, das 16h às 21h.


O festival propriamente dito apresenta receitas criadas ou recriadas para o evento pelos estabelecimentos participantes. Como nas edições anteriores, os pratos serão servidos a preços fixos: entradas e petiscos a R$ 40; pratos principais a R$ 55 e sobremesas a R$ 20. Já pizzas e sanduíches saem por R$ 35. As porções serão servidas no tamanho individual dos restaurantes.

Com o tema "Uma viagem pelo mundo", a edição 2021 vai permitir experimentar pratos inspirados na culinária de todos os continentes (Américas, Europa, África, Ásia, Oceania e Antártida), além de proporcionar um “passeio” especial pelo Brasil.


Assim, o roteiro pode começar pelo norte do país, onde a cultura indígena inspira criações como a entrada ‘Manaós’, do Limoeiro. O petisco - quitutes de banana pacovã recheados com peixe assado e acompanhado por vinagrete de pimenta de cheiro - é servido em meio a peças artesanais produzidas em uma aldeia indígena onde os proprietários da casa foram, in loco, buscar inspiração.


“Passamos quinze dias com os índios, que comem peixe e banana em todas as refeições. Na aldeia, utilizam-se peixes como o pirarucu e o tambaqui. Como essas espécies são difíceis de serem encontradas na nossa região, optamos por um peixe muito saboroso e só nosso: a perumbeba, típica da Lagoa de Araruama e que merece toda nossa atenção”, conta Felipe Senos, proprietário do Limoeiro.


Reverenciar a culinária indígena significa reverenciar a história da cidade. Eram os índios Tamoios os habitantes originários da região, quando foi descoberta, em 1503, por Américo Vespúcio - o navegador e mercador italiano que explorou os oceanos a serviço dos Reinos de Espanha e Portugal.


A mistura cultural, tão típica do Brasil, pode ser apreciada, por exemplo, no prato ‘Pará Oriental’, do restaurante José. O local também faz referência à região norte do país, mas com um toque japonês. A composição traz peixe grelhado, musseline de inhame com açaí, tabule de amêndoas e, para finalizar, molho dashi.

O tour gastronômico segue até a Europa, para onde o tradicional restaurante Picolino “viajou” em busca de histórias. O Caminho de Santiago, entre a Espanha e a França, inspira a entrada ‘Caminhos’ (cavaquinha com molho de queijo e alho-poró gratinada e farofa de baguete na manteiga de laranja), servida na coquille (concha).


O Velho Mundo se faz presente também na receita do Delirio´s (foto), que ganhou sabores franceses: filé suíno com bacon e toque de dijon envolto em massa folhada e crosta de ragu de cogumelos, em cama de batata e espinafre salteado na manteiga, regado ao consommé de cassoulet e finalizado com nozes. E porque não um hamburger com clássicos da cozinha italiana? No Sem Frescura, o ‘Spuma di Pomodoro’ combina burger de polpetone recheado com mozarela, espuma de tomate e crocante de salsa em pão brioche.

Do continente africano vem a criação do Le Monde: ‘África com sua explosão de sabores e países convidados’. O prato reúne arroz de coco, moqueca de camarão e mollete mexicano de purê de feijão, carne seca desfiada e escalivada espanhola. Já o Kentô trouxe da Ásia, o ‘Chilli Lámen’: caldo picante, noodle artesanal, peixe do dia, camarão, lula, ovo perfeito, pasta de pimenta da casa, broto bok choy, shiragá e shitake.


A Oceania se faz presente no Koala, através da costelinha suína ao molho barbecue, arroz com pimenta de cheiro e ervas desidratadas, farofa de bacon e pétalas crocantes de cebola australiana.

No mundo das sobremesas, o Havanna faz sua estreia no festival com uma torta macia de cream cheese recheada com o famoso doce de leite argentino que dá nome à casa. Na Brigaderia da Vovó, a pedida é o ‘Petit Paris’, um trio formado com clássicos franceses crème brûlée, mousse de chocolate com merengue francês e macaron de Chandon.

O frio da Antártida inspirou o Dona Farinha na hora de criar sua receita, que traz delícias de diversos países arrematados por sorvetes.



Cardápio completo do 7°Festival Sabores de Cabo Frio 2021, aqui


A foto de abertura é o prato Blu Mare do Blu Gastrô: Risoto de camarão e sururu, acompanhado de cebolas pérola, alhos caramelizados em vinho chardonnay e camarão VG envolvido em farofa de coco



Destaques
Últimas