• Sônia Apolinário

Colorado faz sazonal com lúpulo nacional e versão orgânica

Cerca de um ano e meio depois da Lohn Bier, agora é a Colorado que apresenta rótulo tendo como ingrediente lúpulo produzido na fazenda da Ambev, em Santa Catarina. Em comum também o estilo: Hop Lager. Ambas as marcas fazem parte do portfólio do grande grupo cervejeiro. A Colorado ainda lançou seu primeiro rótulo que afirma ser orgânico.

O lúpulo da Brasil com S 17 foi produzido pelo Projeto Fazenda Santa Catarina, em Lages, desenvolvido pela Ambev junto a agricultores locais. O rótulo da Colorado tem 4,6% de teor alcóolico e 17 de teor de amargor (IBU). Entre os ingredientes, tapioca - fécula extraída da mandioca, macaxeira ou aipim (o nome da raiz varia de acordo com a região do país).


A Lohn Green Belly (Barriga Verde, em português, nome como são chamados os nascidos no Estado de Santa Catarina) tem 4,2% de ABV e IBU não informado. Na época do lançamento do rótulo, Richard Westphal Brighenti, cofundador, sócio e head brewer da Lonh, cuja sede fica em Lauro Muller (SC), informou, no blog da cervejaria, que na Santa Catarina, existe um viveiro com mudas de lúpulos de varietais distintas. Também tem equipamentos para o beneficiamento das plantas.


Segundo ele, a primeira fase do projeto era a implementação de uma lavoura experimental de 1 ha. Além disso, estava sendo construída uma planta piloto para beneficiamento de lúpulo com peladora, secadora, peletizadora e embaladora a vácuo. A segunda fase, de acordo com o blog, tinha como objetivo fomentar a cultura através da agricultura familiar.


Nem a Lohn, nem agora a Colorado informaram qual (ou quais) varietal de lúpulo foi utilizado na produção dos respectivos rótulos. No caso da cervejaria de Ribeirão Preto (SP), foi divulgado, ainda, o lançamento da Colorado Orgânica, uma uma fruit beer feita com cambuci, com 4% de teor alcoólico e 10 de IBU.


Sobre o processo de produção, foi informado apenas que o fruto foi produzido em sistemas agroflorestais, “que combinam culturas agrícolas com árvores florestais e frutíferas na mesma área para adquirir uma utilização mais eficiente dos recursos naturais como solo, água e energia”. De acordo com o comunicado da marca, “para conquistar a certificação orgânica, a cervejaria passou por diversas etapas para cumprir todas as exigências feitas pelo órgão regulador”.


Leia também

Ambev é premiada por projeto que resultou nas suas cervejas com mandioca


A gaúcha SteinHaus produz a primeira cerveja orgânica e sem glúten do país

Destaques
Últimas