• Sônia Apolinário

Blumenau, Bodebrown e Masterpiece são as Cervejarias do Ano no Brasil Beer Cup 2021

Blumenau (Blumenau, SC), Bodebrown (Curitiba, PR) e Masterpiece (Niterói, RJ) receberam o prêmio de Cervejaria do Ano, respectivamente, nas categorias grande, médio e pequeno porte do Brasil Beer Cup 2021. A cerimônia de premiação do concurso foi realizada de forma virtual, na noite desta sexta-feira (26).

Para Best of Show foram criadas as categorias Comercial, Experimental e Inovação. Os rótulos vencedores foram, respectivamente, Belgard Catharina Sour Pitaya e Maracujá (cervejaria Belgard, SC); Berliner Weiss (Grupo Petrópolis, RJ que lançará o rótulo pela marca Black Princess) e Cerveja Clara de Fazenda (Endemic Brewing Co, SC), feita com levedura, malte e lúpulo brasileiros.


O concurso, organizado pelo Instituto Science of Beer, também premiou três cervejeiros caseiros que terão suas Catharinas Sours produzidas por fábricas comerciais de Santa Catarina, parceiras do evento. Os vencedores foram Guilherme Martins Grosseli (SP) com a cerveja Catê; Plati Pedraja (PR) com a Eva Catharina Sour e Robson Bertuzzo (RS) com a Catharina Sunset.


Para a categoria de Melhor Cervejaria do Ano, foi considerada empresa de pequeno porte a que produz até 15 mil litros mensais; médio porte, até 150 mil litros mensais e grande porte, a partir de 150 mil litros mensais.


Foram inscritas 1.216 cervejas de 270 cervejarias, inclusive do Uruguai e do México. Desse total, 269 rótulos foram premiados, o que representa 22% do total de inscrições.


No total foram distribuídas 83 medalhas de ouro; 94 medalhas de prata e 92 medalhas de bronze. O estado com o maior número de medalhas foi Santa Catarina, com 85. Em segundo lugar vem São Paulo, com 51. Seguido por Paraná com 41 medalhas, Rio Grande do Sul com 26 e Minas Gerais com 22. Alguns estados como Mato Grosso e Rio de Janeiro também se destacaram, ambos com 11 medalhas.


A Masterpiece trouxe para Niterói sete medalhas: 1 de Ouro (Adambier) e 6 de Prata (Tripel, Ordinary Bitter, Fruit Bier, Rye Beer, California Common e Marzen)


Da região Nordeste, o estado de Alagoas ficou com 7 medalhas. O México também teve um rótulo premiado com medalha de ouro, na categoria Chilli Beer – a cerveja Amor de Verano, produzida pela Cerveza Caserio.


O concurso contou com inscrições de 21 estados brasileiros, sendo os três estados com maior número de cervejas inscritas: Santa Catarina, com 30% ; São Paulo, com 16%; Paraná, com 15% e Rio Grande do Sul, com 11,54%.


A tarefa de avaliar, classificar e premiar as cervejas concorrentes ficou à cargo de 53 juízes de 12 países, em trabalho realizado ao longo de três dias.


Confira todas as premiadas, aqui

Confira a cerimônia de premiação, aqui


Cerveja Blumenau



A marca conquistou 23 medalhas, sendo seis de ouro, 13 de prata e quatro de bronze.


As três linhas de produto foram premiadas. Na Mestres do Tempo, que celebra bebidas maturadas em barris na adega da cervejaria, foram nove medalhas, sendo três de ouro: Mestres do Tempo Lambic #1 (no estilo Belgian-Style Lambic), Mestres do Tempo Gueuze #1 (no estilo Belgian-Style Gueuze) e Mestres do Tempo Maracujá Negro (no estilo Mixed-Culture Brett Beer).


A Macuca Imperial Stout levou o ouro no estilo British-Style Imperial Stout e teve quatro edições especiais também premiadas: prata com Tropicalente (no estilo Chilli Pepper Beer) e Pé-de-Moleque (no estilo Field Beer) e bronze com a Bala de Coco (no estilo Field Beer) e Macuca Vanilla Secchi (no estilo Speciality Beer).


Na linha dedicada à inovação, chamada de Blumenau CraftLab, dois rótulos que chegam ao mercado na próxima semana já foram reconhecidos: CraftLab Orloj (Vienna-Style Lager) e CraftLab Valquíria Goiaba e Gengibre (Contemporary-Style Gose), ambas com medalha de prata. A CraftLab Wee MC8, criada em parceria com os alunos da turma de Mestre Cervejeiro da Escola Superior de Cerveja e Malte (ESCM), levou o ouro no estilo Strong Ale.


O cervejeiro Marcos Guerra, no discurso da premiação, reconheceu o trabalho de toda a equipe da Cerveja Blumenau, que garante a qualidade dos produtos no dia a dia.


“O prêmio de Cervejaria do Ano coroa um ciclo de muito aprendizado e dedicação de todos os que fazem parte da marca”, acrescenta.


Valmir Zanetti, diretor da Cerveja Blumenau, reforçou a importância da valorização da cerveja artesanal independente no momento de retomada de restaurantes e eventos.


“É fundamental que a sociedade entenda que o nosso setor tem diferenciais de produto e, tão importante quanto, um protagonismo econômico que precisa ser destacado e apoiado”, disse.


Este é o segundo prêmio do ano pela soma de resultados do mix de produtos, já que em março a Cerveja Blumenau ficou com o segundo lugar entre as melhores do país no Concurso Brasileiro de Cervejas.

Destaques
Últimas