Versão brasileira do Guia Michelin será lançada em evento online

17/09/2020

O Guia Michelin, que distribui cobiçadas estrelas para restaurantes em todo o mundo, apresenta sua versão brasileira no próximo dia 25 de setembro. O evento será online, transmitido, a partir das 18h30, do Copacabana Palace, pelo canal do YouTube do guia.

 

O diretor internacional da publicação, Gwendal Poullennec, participará do lançamento, de Paris, na França. Da cozinha do Copacabana Palace,  chefs darão dicas de culinária. Estarão lá 

Kátia Barbosa, do Aconchego Carioca; Elia Schramm, do Pici Trattoria; e Nello Cassese, do Cipriani, junto com a equipe do Belmond.

 

A edição brasileira do Guia foi lançada em 2015, contemplando as cidades Rio de Janeiro e São Paulo.

 

O Guia Michelin nasceu na França, em 1900, pelas mãos de André e Edouard Michelin, fundadores da empresa de mobilidade homônima. Com o objetivo de facilitar a vida dos viajantes franceses, os irmãos produziram um pequeno guia com informações úteis para os viajantes, como mapas, como trocar um pneu, onde encher o tanque de gasolina, e  para o viajante em busca de descanso das aventuras do dia, uma lista de lugares para comer ou passar a noite.

 

Durante 20 anos o Guia foi fornecido gratuitamente até ganharem crescente influência e relevância entre os restaurantes. Em 1926, o Guia começou a conceder as estrelas aos restaurantes em destaque, inicialmente marcando-os apenas com uma única estrela. Cinco anos depois, uma hierarquia de zero, uma, duas e três estrelas foi introduzida e, em 1936, os critérios para os rankings estrelados foram publicados.

 

Ligados ao setor de hotelaria ou de restaurantes, os inspetores do Guia são funcionários da Michelin, sem vínculo algum com os estabelecimentos visitados. Sempre à procura de novos restaurantes de qualidade, experimentam, no seu cotidiano, todos os tipos de estabelecimentos e estilos de cozinha.

 

Anônimos (como clientes comuns, sempre pagam sua conta), avaliam cada prato, baseando-se em cinco critérios: a qualidade dos produtos utilizados, a personalidade da cozinha, a técnica de cozimento e a harmonização dos sabores, a relação preço e qualidade e, também, a regularidade.

 

A cada ano, os inspetores percorrem, em média, 30 mil km e fazem cerca de 250 refeições em restaurantes, a fim de selecionarem os melhores estabelecimentos de todas as categorias.

 

Os melhores restaurantes são destacados com Bib Gourmand  (cozinha de qualidade e de preço razoável) ou Estrelas, com base, exclusivamente, na qualidade da cozinha, em atribuições sempre decididas em colegiado.

 

Até o momento, nenhum restaurante brasileiro obteve três estrelas, a pontuação máxima. Ano passado, 18 restaurantes do Rio de Janeiro e São Paulo foram citados no Guia, sendo 3 com duas estrelas e 15 com uma.  Na categoria Bib Gourmand, 31 estabelecimentos foram premiados. Atualmente, são duas estrelas Michelin: D.O.M (chefs Alex Atala e Geovane Carneiro, SP); Oro (chef Felipe Bronze, RJ) e Tuju (chef Ivan Ralston, SP). 

 

Para comentar, aqui

 

Compartilhe no Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google +
Please reload

Destaques

As tentativas de Munique para ter uma Oktoberfest em 2020

14/10/2020

1/5
Please reload

Últimas
Please reload

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolináriosoniapolinario@yahoo.com.br