Livro brasileiro que reúne receitas e artigos técnicos ganha o 'Oscar' das publicações gastronômicas

Existe um “Oscar” para livros de gastronomia.  É o prêmio Gourmand. Na sua edição 2020, um título brasileiro foi eleito o melhor do mundo na categoria “Publicações com Universidades”.  Trata-se de “Isto Não é (apenas) um Livro de Receitas: é um Jeito de Mudar o Mundo”, do Instituto Comida do Amanhã, que mistura receitas de mais de 30 autores, como Bela Gil, Bel Coelho e Roberta Ciasca, com artigos de alguns dos maiores especialistas de sistemas alimentares sustentáveis do país. Foi feito em parceria com a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e a Fundação Heinrich Böll - Brasil. 

 

Na primeira fase da premiação, o Gourmand apontou o título como sendo o melhor do Brasil em três categorias “Sustentabilidade”, “Segurança Alimentar” e “Publicações com Universidades”.

 

 

Ao longo de 9 capítulos, o livro aborda temas como desperdício de alimentos, soberania alimentar e biodiversidade, empoderamento, alimentação infantil e pesca sustentável.

 

“A ideia era juntar saber e sabor. Um saber que desse vontade de ler, que não fosse um simples relatório técnico. O objetivo é ajudar as pessoas a entenderem que,  três vezes por dia, cada um de nós tem uma ferramenta poderosa de transformação disponível. Porque  o que comemos pode mudar nossa relação com o mundo”, explica  Mónica Guerra,  fundadora e uma das diretoras do Comida do Amanhã.

 

A premiação final estava prevista para acontecer na China, entre os dias 14 e 17 de maio, quando é anunciado o prêmio Best of The Best, do qual participam publicações de 225 países. Por conta da pandemia do Corona vírus, a cerimônia foi adiada.

 

E pensar que ninguém do Comida do Amanhã nem desconfiava que o livro estava sendo avaliado pelo Gourmand. Mónica admite que não conhecia o prêmio e, até agora, não sabe quem indicou o título para os organizadores.

 

O Instituto se apresenta como um “think tank sobre comida”. Think tank pode ser entendido como um laboratório de ideias, neste caso, formado também pela advogada Juliana Tângari, que mora em São Paulo,  Francine Xavier (Mestre em práticas de desenvolvimento sustentável), além da portuguesa Mónica, que vive no Brasil há nove anos, ambas moradoras do Rio de Janeiro. 

 

Arquiteta, Mestre em planejamento e gestão urbana e especialista em aquecimento global, Mónica chegou ao Brasil, vinda da Dinamarca, para fazer um estágio nas Organizações das Nações Unidas, no Rio de Janeiro e ficou no país.

 

O Instituto surgiu em 2018, dois anos após a realização de um evento no Museu do Amanhã (RJ) que girou em torno da pergunta “O que vamos comer amanhã?”:

 

 

 

 

"Nas discussões sobre ambientalismo, percebi que não se conectava a questão da comida, que as pessoas não se preocupavam com o que estavam comendo. Há uma vulnerabilidade alimentar, um sistema alimentar que está sempre em risco. Achei importante trabalhar com isso, mas sem jogar nada na cara das pessoas. Porém, fazer com que entendam que comida é um ato político. Sem culpas, mas com responsabilidade”, observa Mónica.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assim, transmitir “saberes e sabores” é a missão do Comida do Amanhã. E o livro, agora premiado, tinha um objetivo claro: deveria explicar para as pessoas o “pensamento político” da think tank.

 

“Para nós é uma honra essa premiação, porque é uma valorização da pesquisa e da universidade. Mostra que estamos no caminho certo”, comenta Francine.

 

Até a quarentena de combate ao Corona, “Isto Não é (apenas) um Livro de Receitas: é um Jeito de Mudar o Mundo” foi lançado no Rio de Janeiro e São Paulo, mas o lançamento em Belo Horizonte (MG) foi adiado. No momento, a publicação está sendo traduzida para o inglês e o espanhol. A edição em português está disponível para download gratuito.

 

O prêmio

 

O Gourmand World Cookbook Awards foi criado, em 1995, por Edouard Cointreau. Todos os anos, são homenageados os melhores livros de comida e vinho, impressos ou digitais, bem como séries de televisão relacionadas a  alimentos.

 

Anualmente, o Gourmand concede prêmios em um local especial para gastronomia. A cerimônia é sempre uma oportunidade de conhecer os nomes mais importantes no mundo da comida e dos livros: centenas de editoras, autores, chefs e jornalistas participam do evento.

 

Comparado ao “Oscar” do cinema, o Gourmand Awards oferece uma oportunidade única para mostrar ao mundo a cultura alimentar de um país.

Na edição 2020, 31 títulos nacionais, ao todo, foram indicados em várias categorias da premiação.

 

Conheça todos os premiados da edição 2020

 

                                                                     Para comentar, aqui

 

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google +
Please reload

Destaques

Cervejarias do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo marcam presença no Talk Chopp com a Lupulinário em maio

04/05/2020

1/5
Please reload

Últimas
Please reload

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolináriosoniapolinario@yahoo.com.br