Livro reúne fotos e cartuns de Duayer, colaborador de 'O Pasquim'

No último mês de junho, o semanário alternativo "O Pasquim" completou 50 anos. Por conta da data, um de seus colaboradores teve seus trabalhos reunidos em “Salve-se Quem Puder! Cartuns e Fotos de Duayer”. Organizado e editado e pelo jornalista Francisco Ucha, o livro será lançado terça-feira (26), às 19h, no restaurante La Fiorentina, no Rio de Janeiro.

 

Em 1973, Duayer, aos 23 anos, foi contratado como fotógrafo para o semanário, que reunia colaboradores como Ziraldo, Millôr Fernandes, Claudius, Fortuna, Henfil, Paulo Francis e Ivan Lessa.

 

“O Pasquim funcionava, na época da minha admissão, na Lagoa. Da minha sala, de tanto ver aquelas feras desenharem, acabei rabiscando algumas coisas, nas horas vagas. Jogava fora e esquecia. Um dia, Henfil me viu desenhando. Era um cartum, que ele curtiu e foi logo dizendo que eu tinha de ser cartunista. Mostrou pro Jaguar e o desenho foi publicado. Assim iniciei meu percurso no time de cartunistas do Pasca”, conta Duayer que, na noite de autógrafos, deixará sua assinatura, também, em uma das pilastras do restaurante, um dos redutos da boemia carioca, que durante vários anos, foi ponto de encontro da turma do Pasquim.

 

Por 13 anos, Duayer trabalhou no jornal. Um dos seus fundadores, Jaguar, aos 87 anos, é o autor do prefácio. O texto da orelha é do jornalista e cartunista José Alberto Lovetro (JAL), criador do Prêmio HQMix.

 

 

Com 192 páginas, o livro contém cerca de 250 fotos e cartuns. As fotos, feitas em 1973 e 1974, mostram os bastidores do semanário, quando eram feitas entrevistas com grandes personalidades, além das inusitadas Pasquim-novelas. Já os cartuns foram criados nos anos 1970-1980 e se mostram ainda atuais.

 

Além do Rio de Janeiro, o livro também será lançado em São Paulo, onde está em cartaz a exposição "O Pasquim 50 Anos", no Sesc Ipiranga. Como parte das comemorações, a Biblioteca Nacional está digitalizando toda a coleção do jornal.

 

O Pasquim

 

O Pasquim” foi o principal órgão da chamada imprensa alternativa surgida no país no final da década de 60 e início da década de 70. É considerado o jornal que mais influenciou a grande imprensa nacional.

 

De uma tiragem inicial de 20 mil exemplares, chegou a atingir a marca de mais de 200 mil exemplares semanais em seu auge, nos anos 70, tornando-se um dos maiores fenômenos do mercado editorial brasileiro da época, passando a ser o porta-voz da indignação social brasileira.

 

Foi lançado em 26 de junho de 1969, seis meses depois de instituído pela ditadura militar o Ato Institucional Número Cinco – AI-5. Além de Jaguar, os  jornalistas Tarso de Castro e Sérgio Cabral também foram fundadores do jornal, que usava o humor irreverente como arma para tratar das questões mais sérias e importantes do Brasil e do mundo.

 

Serviço

 

Lançamento Rio de Janeiro 

Dia 26 de novembro, 19h

Restaurante La Fiorentina - Avenida Atlântica, 458 A, Leme

 

Lançamento São Paulo

Dia 3 de dezembro, 18h30
Livraria Martins Fontes Paulista - Avenida Paulista, 509, Paraíso

                                               

Para comentar, aqui

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google +
Please reload

Destaques

Ambev e Pratinha se unem em busca de inovação cervejeira

14/11/2019

1/5
Please reload

Últimas
Please reload

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolináriosoniapolinario@yahoo.com.br