Niterói participa do Mondial de la Bière Rio com oito marcas sendo três com fábricas próprias

Lupulinário é carioca, mas mora em Niterói há muitos anos. E acompanha de perto o movimento cervejeiro na “terrinha”, que cresce e aparece. No Mondial de la Bière, que começa hoje (quarta-feira, 4), a cidade estará presente com oito de suas marcas sendo três com fábricas próprias. Uma delas, inclusive, será oficialmente inaugurada assim que os portões do Pier Mauá forem abertos, às 16h.

 

Trata-se da Masterpiece cuja fábrica está terminando de ser construída, no bairro do

 Cafubá. No Mondial, o estande vai reproduzir a fachada da cervejaria e contará com nove taps abastecidos com Pilsen, Berliner Weisse Acerola, APA, IPA, Double Brown Ale, Stout, Tripel e Brut IPA, as oito futuras cervejas de linha da marca. Todas foram produzidas na fábrica da Inesperada, no Rio de Janeiro, e guardadas em uma câmara fria, instalada na obra da cervejaria de Niterói. Um dos taps, aliás, será utilizado pela própria Inesperada.

 

 

A outra fábrica presente no Mondial é a Noi, que participou de cinco das seis edições do evento do Rio. Desta vez, a novidade fica por conta das cervejas do Noi Lab, elaboradas pelo mestre cervejeiro Guilherme Zanin, no laboratório de testes da fábrica, em Itaipu – não muito longe da Masterpiece.

 

Serão apresentadas três cervejas, que se afastam um pouco do estilo mais clássico da Noi. São elas: WTF - What the fuck (Dry Stout), A Noi que o cupuaçu abunda (Catharina Sour) e Noi Asolo (Brut Ipa).

 

A cervejaria aproveita o evento para fazer o pré-lançamento da New England Nuova Terra, que chegará em breve ao mercado, em lata de 473 ml. Também estarão disponíveis outros 15 rótulos, entre eles, a Selvaggio, uma Wild Ale de fermentação espontânea em barrica de vinho do Porto com cereja, com 12,8 % de teor alcoólico.

 

Esse rótulo foi recém-lançado em São Paulo e que ainda não tinha chegado ao Rio de Janeiro. A Selvaggio levou medalha de prata no World Beer Awards 2019, no estilo Flavoured Wild/Sour. 

 

A Noi recebeu, recentemente, o selo de denominação de origem Niterói Cervejeiro. Bem como a cigana Matisse, que exibirá o seu no estande do Mondial.

 

Ano passado, quando estreou no evento, a Matisse ganhou medalha de ouro para a sua Catharina Sour Saboya, no concurso promovido pelo próprio Mondial. O rótulo vencedor estará presente em um dos oito taps do estande da marca. Dois deles serão ocupados por lançamentos: a Irish Cream Ale Doyle e a Trippel Acqua Forte. 

 

A primeira é uma homenagem ao um ilustrador e aquarelista inglês Charles Altamont Doyle, atualmente, mais lembrado por ser o pai de Sir Arthur Conan Doyle, o criador do personagem Sherlock Holmes. O artista plástico costumava retratar seres místicos. Doyle, a cerveja, tem 4,7% de teor alcoólico e 15,3 IBU. É uma colaborativa da Matisse com a cervejaria Gnomo, do Rio de Janeiro. Entre seus ingredientes está fava tonca, que é a semente da árvore Cumaru, o que confere à cerveja aromas de baunilha e canela.

 

Acqua Forte é uma técnica de pintura que, no século 18, permitia a reprodução de desenhos. Era muito utilizada pelo pintor e gravador holandês Rembrandt. 2019 marca os 350 anos de sua morte e, em todo o mundo, exposições estão sendo apresentadas em sua homenagem. Acqua Forte, a cerveja, tem 12% de teor alcoólico e 36 IBU e leva amêndoa amarga na sua composição.

 

 

A fábrica da BrewLab acabou de ser instalada, na Vila Cervejeira. As produções da marca que estarão no Mondial ainda são ciganas. No estande, que terá praticamente o mesmo layout do ano passado, estarão plugadas 12 torneiras, sendo quatro ocupadas com as produções feitas especialmente para o evento. Uma delas é a Haze Baze Cola. Essa New England APA leva na receita noz de cola - a castanha de uma planta nativa da África tropical. 

 

Especialmente para o festival, a série Haze Baze também ganhou uma versão framboesa, que homenageia Arthur Maia (1962-2018), um músico que era muito querido em Niterói.

 

As outras duas cervejas feitas para o evento são colaborativas, produzidas com o pessoal do brewpub carioca Narreal: a Marmelada de Laranja (White IPA fermentado com Kveik) e a Coco Nuts Mix (Pastry Sout, estilo que leva na receita ingredientes usados em preparos de sobremesa como coco, castanhas e lactose, que resulta em uma cerveja adocicada, licorosa e encorpada).

 

 

Quem mais vai apresentar novidades é a Thirsty Hawks, que levará para o Mondial 11 lançamentos em um total de 16 torneiras instaladas no estande da marca.

 

São eles: Brynja (West Coast Lager); Devora Agora! (American Sour com amora, framboesa,

mirtilo, lactose e baunilha); Devora Já! (American Sour com cajá, manga e pêssego com mix de leveduras); Avrake (Kveik Juicy IPA); Hi Brett! (Saison com Brettanomyces e cascas de laranja, repousada em barril de carvalho francês); Stouteada (Imperial Pumpkin Stout, com  adição de pimenta da Jamaica, noz moscada, cravo e canela); Stouteada (Imperial Pumpkin Stout Bourbon Barrel Aged maturada em barril de carvalho americano); Stima (American Wild Ale com mix de leveduras e frutas silvestres maturada em Barris de Carvalho Francês em que repousou vinho de uvas Carmènére); Kérya (Farmhouse Ale Grappa Barrel Aged); Razant (com fermentação espontânea e maturada em barril de carvalho americano em que repousou gin inglês) e Raritè (Farmhouse Ale com mix de leveduras maturada em barris de carvalho francês em que repousou vinho de uvas Chardonnay).

 

 

No estande do Sebrae, a Araribóia participa com três rótulos: Jurujuba Pilsen, Alto Mourão APA e Niteróviski Baltic Porter. Ao todo, o Espaço Sebrae de Cervejas Artesanais contará com a participação de quatro cervejarias atendidas pelo projeto Fortalecimento das Microcervejarias no Rio de Janeiro. Junto com Araribóia estarão Beach Brothers (Campos dos Goytacazes), Inesperada e Lótus (Rio de Janeiro).

 

Também em espaço coletivo estarão Surreal e Mosaico. As marcas marcarão presença  no estande da Pontal, cervejaria de Nova Friburgo, cidade serrana do Rio de Janeiro, que também produz para ciganos.

 

A Surreal vai instalar oito taps, sendo cinco deles com lançamentos. São eles: Brunch Time (Imperial Stout com Lactose, café, chocolate e laranja); Blackberry is Back (Sour com amora); Não Aguenta, Bebe Leite (Berliner Weisse com uva e lactose); London Fog (New England IPA) e Milkshake IPA com damasco (a mesma base da London Fog com lactose, damasco e baunilha).

 

Nas outras três torneiras da Surreal estarão Offscreen (American IPA), Drumstick (Doppelbock com amburana e hickory, colaborativa com a Pontal e Aqueles Caras) e Triple Wood (Doppelbock com amburana, carvalho americano e sugar maple). Esta cerveja repete a parceria com Pontal e Aqueles Caras e acabou de ganhar medalha de bronze na Copa Cervezas de América.

 

 

 

A Mosaico participa com cinco torneiras: Easy Peasy Oak Rum (Golden Ale envelhecida em barril de rum); Psychedelic Chess (Double Brown Ale com lactose, melado e avelã); Rododendro Oak Wiskey (Wee Heavy com mel envelhecido em barril de wiskey); Black Rorizon (Russian Imperial Stout com lactose, baunilha, melado e nibs de cacau) e Haka (Berliner Weisse com Kiwi).

 

Para comentar, aqui

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google +
Please reload

Destaques

Movimentação suspeita nas votações faz Pão de Açúcar mudar regra da 4ª edição do Festival de Microcervejarias

15/10/2019

1/5
Please reload

Últimas
Please reload

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolináriosoniapolinario@yahoo.com.br