A magia da animação toma conta do CCBB

Com 400 itens de acervo, além de desenhos, fotografias, pôsteres e artes originais, a exposição “DreamWorks Animation: Uma Jornada do Esboço à Tela”, chega ao Brasil, no próximo dia 6 de fevereiro, para uma temporada de dois meses no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro. A mostra, que já passou por sete países, celebra 20 anos de criação do estúdio responsável por longas-metragens como “Shrek”, “Madagascar” e “Kung Fu Panda”.

 

 

 

DreamWorks Animation é uma divisão da Universal Filmed Entertainment Group (UFEG). Seu portfólio de 24 longas-metragens inclui também títulos como  “Trolls” e “Como Treinar O Seu Dragão”. Ao todo, suas produções renderam uma bilheteria internacional de mais de U$ 14.5 bilhões e conquistaram inúmeros prêmios. A exposição foi criada pelo Australian Centre for the Moving Image (ACMI), de Melbourne (Austrália), em parceria com a Universal Brand Development.

 

Dentre os itens de acervo da mostra faz parte um modelo do dragão Banguela, do filme “Como Treinar o Seu Dragão” (2010). A exposição traz, também, itens raros e inéditos, como desenhos, storyboards, máscaras, mapas, fotografias, pôsteres, pinturas e artes originais, diretamente dos arquivos do DreamWorks Animation. Também serão exibidas entrevistas e imagens de bastidores que mostram como se dá o complexo e criativo processo do esboço de um desenho às telas.

 

Na exposição, será possível conhecer as várias técnicas com as quais o estúdio já trabalhou:  da perspectiva dos insetos de “FORMIGUINHAZ” (1998), passando pelo stop-motion com argila de “Fuga das Galinhas” (2000); o mundo cheio de detalhes de “Shrek” (2001, vencedor do Oscar); o universo musical e colorido de “Trolls” (2016, vencedor do Grammy) e as cenas de artes marciais de “Kung Fu Panda 3” (2016).

 

 

Apesar de visualmente diferentes, todos os filmes têm em comum as três marcas registradas do DreamWorks: personagens icônicos, história original e um universo mágico onde tudo ganha vida. Por meio de experiências digitais imersivas, os visitantes poderão explorar diferentes mundos, ver de perto as expressões faciais de personagens queridos e conferir efeitos visuais, sonoros e de iluminação de última geração, além de criar sua própria animação 2D. 

 

A exposição está dividida em quatro seções. Em Personagens, será possível apreciar a evolução do que realmente confere vida aos filmes produzidos pelo estúdio DreamWorks Animation: do conceito original dos desenhos e sketches às personalidades totalmente construídas – como Po, de “Kung Fu Panda” (2008), os Zoosters de “Madagascar” (2005), e a gangue do carismático ogro “Shrek”. 

 

Em História, será possível conferir o processo de construção de uma história completa, da inspiração ao desfecho. Telas digitais vão mostrar os enredos originais de “Shrek” e “Madagascar” e também recriarão uma sessão de brainstorming de “Os Sem-Floresta”.

 

Em Mundo, o destaque fica para a magia incorporada ao universo dos filmes do DreamWorks Animation. Uma projeção de 180 graus, criada especialmente para a mostra, vai levar o visitante a sobrevoar a cidade viking de Berk,  a partir das costas de um dragão.

 

A Sala de Desenho é a última parada da exposição. Nessa área, os quiosques especialmente projetados permitirão que o público desenhe e crie um curta animado, a partir da tecnologia do estúdio DreamWorks Animation.

 

 

Alguns personagens

 

Shrek – Os filmes de Shrek foram inspirados nas histórias infantis de William Steig (1907 - 2003) sobre um ogro assustador que encontra o verdadeiro amor quando salva uma princesa feia. A exposição permite aos visitantes traçar uma evolução gradual da aparência do personagem, mostrando como os desenhos originais estavam mais perto da obra do escritor americano e como, gradualmente, se transformaram no personagem amável que conhecemos hoje. Shrek, no entanto, permanece inegavelmente feio, e foi tarefa da equipe de animação comunicar a sua verdadeira natureza e gama de emoções através de expressões faciais complexas, tornadas possíveis por meio de novas técnicas de animação digital.

 

 

Kung Fu Panda – Inspirado pela arte tradicional do kung fu e ambientado na China antiga,

Kung Fu Panda conta a história de Po, um panda que ama kung fu mais do que tudo no mundo. A forma redonda e macia do panda influenciou o desenho do personagem em que “coisas boas são redondas e macias”. Seu corpo grande e pesado contrasta com a elegância dos cenários e abriu espaço para muito humor visual. A forma do corpo também é usada para criar grande efeito cômico na relação entre Po e seu pai, o senhor Ping, um pato.

 

 

Madagascar – Madagascar conta a história de quatro animais amigos: Alex, Melman, Gloria e Marty, que viajam para longe de casa - o Zoológico do Central Park, de Nova York - e acabam na ilha de Madagascar. Os personagens foram projetados para parecerem desenho animado e foram originalmente inspirados por imagens da década de 1950 e cartoons pastelão da idade dourada da animação americana. Além de adicionar humor aos personagens, o design simples permitiu aos animadores aplicar o clássico "squash and stretch” (técnica de animação em que três personagens são esticados em formas extremas e depois voltam ao original para reforçar impacto e movimento).

 

 

Spirit: O Corcel Indomável – Situado no selvagem oeste americano (Wild West) do século 19,

 Spirit explora o confronto entre o deserto e as forças de colonização e assentamento. Recusando-se a ser domesticado ou derrotado pelos invasores, o garanhão selvagem, Spirit, é uma combinação de força, coragem, ternura e determinação.  A história de Spirit é narrada em primeira pessoa, mas a partir da perspectiva do animal. A ênfase em apresentar esses animais selvagens e bonitos dentro de seu habitat natural foi possível graças ao uso de cavalos reais como referência para projetar a sua personalidade. O desafio para os animadores foi criar personagens com as quais o público se identificasse e também mostrar a dignidade e a beleza de animais verdadeiros.  Ao visitar a exposição, os visitantes vão acompanhar o desenvolvimento da personalidade de Spirit, de esboços iniciais a pinturas a óleo e maquetes de personagens.

 

Serviço 

DreamWorks Animation: A Exposição - Uma Jornada do Esboço à Tela
 

Local: Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro - Rua Primeiro de Março, 66,  Centro (RJ)

Data: de 6 de fevereiro a 15 de abril

Horário: Quarta a segunda, das 9h às 21h 

Entrada gratuita | Livre

                                                                Para comentar, aqui

 

 

Compartilhe no Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google +
Please reload

Destaques

Ambev e Pratinha se unem em busca de inovação cervejeira

14/11/2019

1/5
Please reload

Últimas
Please reload

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolináriosoniapolinario@yahoo.com.br