A nova experiência da Hocus Pocus em Niterói

No final de 2017, a Hocus Pocus abriu seu segundo bar, sem alarde. A cervejaria carioca atravessou a Baía da Guanabara e inaugurou o Hocus Pocus Greenhouse, em Niterói, cidade natal dos amigos Pedro Butelli e Vinícius Kfuri, que decidiram fazer da cerveja o seu negócio.

 

O Greenhouse tem uma peculiaridade. Fica no segundo andar de uma hamburgueria. Ok, não é uma hamburgueira qualquer, mas a grifada T.T. Burger, do Rio de Janeiro, que também no final do ano passado, ampliou seus domínios ao se instalar em Niterói. Ou seja, é a hamburgueria que mata a fome da turma que estiver bebendo no bar.  Pedro afirma com um maroto “talvez” que a parceria entre a Hocus Pocus e a T.T. Burger pode vir se multiplicar.

 

 “O lugar ali é perfeito para uma das experiências que queríamos criar. Muitas torneiras com estilos diferentes, muitas plantas e céu aberto. Eu e o Vinícius somos de Niterói, passamos nossa infância inteira lá. Nossos pais moram em Niterói. Fizemos nosso curso de produção artesanal de cerveja na  cervejaria Noi, dado pelo (Leonardo) Botto. Sempre foi um sonho nosso criar um bar que passasse a experiência que gostaríamos de ter por lá”, explica Pedro, formado em Economia e um dos sócios da Hocus Pocus.

 

O céu aberto a que ele se refere é um rooftop, no terceiro andar do prédio, onde foi instalado um lounge – o lugar mais disputado, apesar do “desafio” da escada.

 

Foi em 2016 que a Hocus Pocus abriu seu primeiro bar, o DNA, em Botafogo, que transborda seu público pela calçada. Detalhe: o local era uma oficina mecânica. Lá foi instituído o dia da experiência, ou seja, uma cerveja da casa tem sua receita “modificada” ao passar por filtros com diferentes ingredientes. As experiências também acontecerão no Greenhouse que tem 14 torneiras.

 

Por que dois bares com nomes diferentes?

“Alguns bares têm personalidade própria. São propostas diferentes, então, os nomes surgiram naturalmente”, explica Pedro que optou por não sinalizar o Greenhouse  com letreiros ou placas, pelo menos até agora. “Tudo o que queremos é oferecer um lugar com a alma da Hocus Pocus em um lugar mais perto para o pessoal que mora na nossa cidade natal.”

 

Ter um bar, segundo Pedro, significa “muito trabalho, muitas dores de cabeça”. Porém, ele afirma ser uma “felicidade indescritível” ver um “monte de gente se divertindo” tanto quanto a equipe da cervejaria, no local.

 

O DNA foi aberto dois anos após a criação da cervejaria.  Ter um brewpub ou mesmo a fábrica própria é um sonho da Hocus Pocus. Porém, Pedro afirma que esses são sonhos ainda distantes. Atualmente, a cervejaria produz seus 30 mil litros mensais na Antuérpia, em Juiz de Fora (MG).

 

Lançamento

 

O primeiro lançamento de 2018 da Hocus Pocus vai inovar não apenas na receita da cerveja, mas na própria forma de produção. A Double Juicy IPA foi feita de forma colaborativa com as cervejarias 5Elementos, Koala e Trilha. A ideia é que a cerveja seja consumida fresca, respectivamente, no Rio de Janeiro, Ceará, Minas Gerais e São Paulo. Isso significa produzir localmente uma bebida que será distribuída nacionalmente. No Rio, a Double Juicy IPA será lançada no dia 28, no DNA.

 

Logo depois do carnaval, a Hocus Pocus lança outro rótulo, mas Pedro fez mistério sobre ele.

 

Hocus Pocus Greenhouse: Rua Dr. Leandro Mota, 139 - Jardim Icaraí, Niterói, RJ.

                                                             Crédito: Layana Lossë

outras imagens, crédito: Hocus Pocus

                                                           

                                                             Para comentar, aqui

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google +
Please reload

Destaques

Paisagens do interior e cervejarias que levantam bandeiras políticas são atrações do Talk Chopp com a Lupulinário em julho

05/07/2020

1/5
Please reload

Últimas
Please reload

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolináriosoniapolinario@yahoo.com.br