Feira erótica agita o Rio de Janeiro por cinco dias

 

 

De hoje (dia 18) a domingo (23), o Rio de Janeiro vai sediar a Sexy Fair 2017. A expectativa dos organizadores é atrair 40 mil pessoas para o Centro de Convenções SulAmérica, na Cidade Nova. O evento promete ser um parque de diversões sensuais. O público vai poder brincar, por exemplo, no Castelo do Fetiche, no Espaço Sensation e na Sombra Chinesa. A programação também inclui debates, shows de humor e apresentações de cantores como Catra, Valesca, Lexa e Sabrina . Nos stands, a expectativa é a apresentação das novas linhas de vibradores líquidos e os géis “virgin again”. Alguns produtos são assinados pelo casal formado pelo humorista Nizo Neto e a sexóloga Tatiana Presser, padrinhos do evento.

 

A realização da Sexy Fair no Rio de Janeiro, este ano, não é por acaso. O Estado já foi o segundo maior consumidor de produtos eróticos, do país – o primeiro é São Paulo. Caiu, porém, para a quinta posição. O Rio de Janeiro encaretou? Crise econômica? Na opinião de Paula Aguiar, presidente da Associação Brasileira de Empresas do Mercado Erótico e Sensual (Abeme), nem uma coisa, nem outra.

 

Segundo ela, empresários de outros estados, principalmente, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, “atuaram mais fortemente” e deixaram o Rio para trás:

 

“Somente 17% da população consome alguma tipo de produto erótico e a maioria não vai em sexy shop. É preciso buscar o público em eventos, bazares e empresários de outros Estados fizeram isso muito bem”.

 

 

O segmento tem uma expectativa de crescimento de 3,5% em 2017, 0,5% maior em relação ao ano passado, quando foram fabricados 9 milhões de itens, por mês, com ticket médio unitário de R$ 8,00.

 

 A feira, segundo Paula, foi pensada para seduzir o consumidor final, “principalmente os casais que querem apimentar a relação”. Isso também não é por acaso. Ela informa que, atualmente, 90% do que é consumido, é para “uso a dois” e os empresários do setor “modelam seus negócios com esse propósito”.

 

Assim, casais prometem ser as grandes estrelas do evento. O humorista Nizo Neto e a sexóloga Tatiana Presser serão os padrinhos da feira. Casados há 15 anos, em 2016 lançaram a linha de produtos “Vamos Transar”. Ele será também uma das atrações da série de stand ups do evento (que contará ainda com  Hélio de La Peña e Benvindo Sequeira) e ela reforça o time de palestrantes. Juntos, lançarão novos produtos, dentre eles, um  “vibrador líquido”, um excitante feminino em gotas.

 

 

Já João e Lídia Ribeiro são evangélicos, donos sex shop em Jandira, no interior de São Paulo, dão palestras sobre sexualidade para casais em igrejas, lançaram um romance erótico e linha de produtos. Na feira, ele será o principal palestrante da programação voltada para negócios.

 

 

Outro casal que atua no segmento evangélico promete causar frisson. Alessandra Seitz e Nido Behrndt lançam na feira o For Lady, outro vibrador líquido, sendo este à base de jambu. Trata-se do 11 produto da linha In Heaven, criada pelo casal.

 

 

Além do vibrador líquido, o gel apelidado de “virgin again” promete ser um dos produtos em destaque no evento. Trata-se de um adstringente redutor vaginal que remove a lubrificação íntima feminina e “dificulta” o ato sexual.

 

 

“Não pensamos apenas nos negócios. Criamos uma programação de palestras que vão abordar as questões de gênero, reforçar a importância da autoestima feminina e o empoderamento da mulher contra o preconceito”, informa Paula que observa que a feira vai promover dois concursos que elegerão a Deusa Plus Size e a Miss Trans.

 

 

Dentre os assuntos a serem abordados estão também a iniciação sexual do adolescente em tempos de mídia digital e a sexualidade dos portadores de necessidades especiais, além de dicas com coaches de relacionamento.

 

 

Porém, nem só de negócios e “papo cabeça” vive a Sexy Fair. O público terá à disposição um playground formado por várias brincadeiras eróticas. No Castelo do fetiche, profissionais demonstrarão a prática do BDSM (bondage, dominação e sado mazoquismo); no Espaço Sensation, a entrada só é permitida com os olhos vendados; a Sombra Chinesa é um espaço onde bailarinos fazem performances sensuais enquanto suas sombras são projetadas em cortinas; o Pênis Mecânico é a versão erótica do touro mecânico dos rodeios; Sexy Click, é um local para fazer fotos sensuais com ajuda de modelos, em cenários inspiradores. Vai rolar também shows de danças e apresentações de stripers.

 

 

“Nosso desejo é que a feira sirva para ampliar os horizontes dos casais. Que descubram seus desejos e realizem suas fantasias. Muitos tabus já foram quebrados com a ajuda de livros, filmes e programas de TV. A feira é uma curtição, um grande entretenimento da sensualidade que o público tende a encarar com muita naturalidade”, afirma Paula.

 

 

Veja toda a programação da Sexy Fair, aqui

 

Veja também a matéria do blog Livro desvenda relação das mulheres com produtos eróticos

 

                                                                                                                                   

Compartilhe no Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google +
Please reload

Destaques

Cervejarias do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo marcam presença no Talk Chopp com a Lupulinário em maio

04/05/2020

1/5
Please reload

Últimas
Please reload

© Todos os direitos reservados Comunic Sônia Apolináriosoniapolinario@yahoo.com.br